Política

Sérgio Carneiro se desfilia do PT: “eu não me sentia mais importante”

[Sérgio Carneiro se desfilia do PT: “eu não me sentia mais importante”]
04 de Maio de 2015 às 20:08 Por: Reprodução Por: Victor Pinto (Twitter: @victordojornal)

Um dos quadros mais destacados do PT, principalmente em sua atuação no Congresso Nacional, o filho do ex-senador João Durval (PDT), Sérgio Carneiro (PT), confirmou ao Bocão News que entregou sua desfiliação à sigla nesta segunda-feira (4). O advogado afirmou que não se sentia mais importante dentro da sigla e sem perspectiva de futuro político na agremiação. “Sabemos que um divórcio não surge da noite para o dia. Vários fatores convergiram na minha saída. Eu não me sentia mais importante dentro do PT”, afirmou.

Segundo o ex-deputado federal, a notícia não deve ter pego de surpresa os dirigentes petistas. “Eles já tinham uma noção de que eu estava sem perspectiva. Alguns, inclusive, tentaram até me ajudar a voltar ao cenário das disputas, participar do projeto, mas, como diz o ditado, como eu estava incomodado, resolvi me mudar”, contou ele que em 2007, 2008, 2009 e 2010 foi destacado como um dos cem mais influentes do Congresso Nacional pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP).

Carneiro negou a hipótese de migrar, de forma imediata, para outro partido. “Eu saí agora justamente para não dar margem a essas especulações. Eu não recebi convite de ninguém, mas vou estudar meu retorno ao projeto político”.

Rechaçou também uma possível aproximação com o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM): “não tenho nada, nenhum tipo de conversa. Penso no futuro? Penso, mas não será agora”, completou.  Mesmo com negativas, é forte o rumor de que o filho de João Durval poderá assumir uma secretaria na administração do democrata e assim contemplar o seu pai, atual apoiador da gestão.

O advogado disse que saiu de forma tranquila e ressaltou que fez parte dos 15 anos da história do PT. “Torço para que ele supere esse momento político atual”, discorreu.

Eleições de Feira - Sobre uma possível relação estremecida, iniciada na disputa por sua candidatura à prefeito de Feira de Santana em 2008, quando interrompeu a hegemonia do deputado estadual Zé Neto (PT) dentro PT, Carneiro informou que o cenário não teve influência. Havia rumores que a relação do líder do governo na Assembleia Legislativa com o ex-deputado pesou na decisão. Sérgio Carneiro negou: “Zé Neto é zero na influência da minha decisão”, informou.

Na disputa pela prefeitura da cidade naquele ano, Tarcízio Pimenta foi eleito como candidato de José Ronaldo, que havia passado oito anos no poder entre 2000 e 2008. Carneiro ficou em terceiro lugar na corrida com 19% dos válidos. Em segundo ficou Colbert Martins, com 24%.

Por falar em Zé Neto, no início do ano, em entrevista a Rádio Subaé AM, ele admitiu que no rol das possíveis candidaturas em 2016, o nome de Carneiro era cotado, mas não havia deixado claro se seria pelo PT. 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar