Política

De 43 gabinetes, 10 estavam fechados em horário de expediente na CMS

Apesar das portas fechadas, verbas de manutenção dos gabinetes não sofrem alteração neste período na Câmara de Vereadores de Salvador

Publicado em 13/01/2016, às 10h35    Reprodução    Victor Pinto (Twitter: @victordojornal)

O feriadão de fim de ano deve ter sido bom para 10 dos 43 gabinetes de vereadores de Salvador. A equipe do Bocão News esteve nesta segunda-feira (11), uma semana depois do feriadão de ano novo, nos prédios onde ficam localizados os gabinetes dos parlamentares municipais para ter dimensão de como estava o desenvolvimento dos trabalhos administrativos das equipes de cada edil. Foram eles a próxima Câmara Municipal, o Edifício Bahia Center e o Edifício Sulamerica. 

Entre 14h e 17h todas as salas foram visitadas. E neste meio tempo, 10 foram encontradas com portas fechadas e sem funcionamento e duas com portas fechadas, mas com servidores trabalhando normalmente. O repórter ainda insistiu com ligações para os gabinetes, mas não obteve êxito.

Os que estavam com portas lacradas, não atenderam as batidas e nem telefones foram os dos seguintes políticos: Alemão (PHS), Duda Sanches (DEM), Moisés Rocha (PT), Orlando Palhinha (DEM), J. Carlos Filho (SD), Odiosvaldo Vigas (PDT), Aladilce Souza (PCdoB), Atanázio Júlio (PTN), Waldir Pires (PT) e Toinho Carolino (PTN).

Na porta do gabinete de Toinho, inclusive, havia um aviso ao público: “só retornaremos a partir do dia 18/01”.

Das salas abertas, em sua maioria, poucos foram os vereadores encontrados em seus gabinetes. Vale ressaltar que o recesso parlamentar só é exercido para as comissões e o plenário, porém as atividades dos gabinetes e dos setores de toda CMS devem funcionar normalmente.

Em alguns gabinetes, foram feitas escalas em regime de plantão para revezamento de horários, dada, segundo a justificativa de servidores, a baixa produtividade do legislativo. “Muitas as articulações dependem do plenário”, contou um assessor de uma das salas visitadas que não quis se identificar.

Outros setores fizeram rodízio de folgas. Dezembro e janeiro são períodos em que os vereadores aproveitam para conceder o direito de todo trabalhador: férias. Direto este previsto nas leis trabalhistas. Os políticos costuraram de uma forma em que o gabinete não fique de portas fechadas, ainda mais neste ano importante por se tratar de período eleitoral e assim nenhum dos seus servidores tiram as folgas no meio do ano.

O presidente da Câmara, vereador Paulo Câmara (PSDB), foi procurado para comentar a situação, mas até a publicação da matéria não retornou as ligações e nem as mensagens enviadas. 

Publicada originalmente às 19h do dia 11 de janeiro

Classificação Indicativa: Livre