Política

Fundac apura omissão de socioeducadores na Case/CIA na morte de adolescente

Nesta quinta-feira (14), um menor infrator foi encontrado morto nas dependências da Fundac

Publicado em 16/07/2016, às 09h03    Divulgação    Redação Bocão News

A Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac) criou uma comissão para apurar os fatos acontecidos na unidade. De acordo com o governo, o relatório será encaminhado ao Ministério Público Estadual. Nesta quinta-feira (14), um menor infrator foi encontrado morto nas dependências da Fundac.  
Acompanhado da diretora da Fundac, Regina Affonso, e da Superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos da SJDHDS, Anhamona de Brito, o secretário de Diretos Humanos da Bahia, Geraldo Reis, visitou a Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case), localizada no CIA/ Aeroporto, nesta sexta-feira (15). De acordo com Reis, um relatório sobre a situação na unidade da Fundac será encaminhado ao Ministério Público Estadual. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) já está investigando as ocorrências. 
 A unidade atende 108 adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa e conta com uma equipe técnica de 308 funcionários, destes, 162 são socioeducadores. Os oito socioeducandos que assumiram a autoria das agressões ao jovem Victor Silva (16), no dia 25 de junho, foram encaminhados às Delegacias do Adolescente Infrator (DAI), e de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), para prestar depoimento. 
Os profissionais responsáveis pelo alojamento, cinco socioeducadores, um coordenador de segurança e dois coordenadores plantonistas, foram ouvidos pela Comissão de Apuração Disciplinar, que finalizará o relatório para encaminhamento ao MP. 
A Secretaria de Segurança Pública está investigando, ainda, a morte do adolescente Bruno Carvalho de Jesus, encontrado com um lençol amarrado ao pescoço na manhã de 14 de julho. Também neste caso, os socioeducadores em plantão foram ouvidos por uma Comissão de Apuração Disciplinar, e encontram-se afastados até o resultado das investigações.
A suspeita inicial é que o jovem, que cumpria medida socioeducativa por envolvimento em um homicídio na cidade de Teixeira de Freitas, tenha cometido suicídio.

Classificação Indicativa: Livre