Política

Lula pediu para tratar eleição de El Salvador com Odebrecht, diz Santana

[Lula pediu para tratar eleição de El Salvador com Odebrecht, diz Santana]
12 de Maio de 2017 às 15:32 Por: Folhapress
 
 
 
O marqueteiro João Santana afirmou em sua delação premiada que tratou diretamente com Emílio Odebrecht, a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre pagamento pela campanha presidencial de El Salvador. 
 
Segundo diz em vídeo da sua delação, Santana foi procurado pelo então pré-candidato à Presidência de Salvador Mauricio Funes, em 2008, para que trabalhasse em sua campanha. Como Santana não demonstrou interesse, Funes recorreu a Lula. 
 
"E o presidente Lula me pediu fortemente, que era um interesse estratégico. E que não me preocupasse com pagamento, que ele daria uma forma de nos ajudar. Ajudar a ele, o Mauricio", diz Santana. 
 
O marqueteiro afirma que o candidato, durante a campanha, não tinha como pagar e pediu que Santana conversasse com Lula. 
"O presidente Lula mandou que eu procurasse, até me surpreendeu, porque foi a primeira vez e única que eu tive um tipo de missão como essa, para falar diretamente com Emílio Odebrecht", disse. 
 
O contato entre os dois foi intermediado pelo ex-ministro Gilberto Carvalho, segundo o delator. 
 
Emílio, de acordo com o relato de Santana, afirmou que preferia tratar do assunto diretamente com Italiano, codinome que o marqueteiro disse ter deduzido que se tratava do ex-ministro Antônio Palocci. 
 
"A Odebrecht fez um aporte via sua subsidiária no Panamá, e tinha verba para comprar programação [propaganda eleitoral paga]. Foi comprado e a campanha foi vitoriosa", disse. 
 
Na planilha "Italiano", que segundo delatores da Odebrecht era usada para controlar os gastos ilícitos da empresa com o PT, consta o pagamento de R$ 5,3 milhões referentes a campanha em El Salvador. 
 
O marqueteiro afirmou ainda que cobrou um preço abaixo do usual pela campanha em El Salvador. E que a ajuda de Lula a Funes foi movida por ideologia. "Era uma ajuda de partido de esquerda a partido de esquerda", disse. 
 
A mulher de Funes, Vanda Pignato, é brasileira e foi uma das fundadoras do PT, mantendo relação de amizade com militantes do partido.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar