Política

Trindade questiona se adiamento de sessão na CMS foi por medo da PF

[Trindade questiona se adiamento de sessão na CMS foi por medo da PF]
18 de Maio de 2017 às 12:15 Por: Vagner Souza/BNews Por: Victor Pinto e Aparecido Silva

Nesta quinta-feira (18), a Câmara de Salvador sediaria uma sessão especial para entrega da medalha Thomé de Souza ao vice-prefeito Bruno Reis (PMDB). No entanto, o ato foi adiado, conforme comunicado do presidente da Casa, o vereador Leo Prates (DEM), idealizador da homenagem. O gesto ocorreu depois que foi divulgado detalhes da delação premiada do dono da JBS, Joesley Batista, que gravou o presidente Michel Temer (PMDB) dando aval para comprar silêncio de Eduardo Cunha (PMDB). 

O senador Aécio Neves (PSDB) também foi gravado pedindo R$ 2 milhões em propina ao grupo JBS. 

Os fatos envolvendo os aliados na esfera federal fizeram com que a sessão no Paço Municipal de Salvador fosse adiado. Zé Trindade (PSL), líder da oposição no Legislativo, fez ironias com o ato do presidente Leo Prates. 

"Respeito a decisão do proponente e do homenageado Bruno Reis, mas a Câmara não pode parar por conta da política nacional", reclamou. Segundo Trindade, a Câmara de Salvador não tem nada a ver com o que está acontecendo no cenário federal.

"Será que ficaram com medo porque teríamos muitos convidados ilustres no Paço Municipal e a Polícia Federal poderia passar com o camburão e levar todo mundo? Eis a questão”, cutucou o vereador oposicionista.

Notícia relacionada:

Momento delicado do país faz Câmara adiar homenagem a Bruno Reis

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar