Política

Para deixar o país, Joesley relatou ameaça de advogado preso

[Para deixar o país, Joesley relatou ameaça de advogado preso]
27 de Maio de 2017 às 13:05 Por: Reprodução Por: Redação BNews
 
Para poder deixar o país, Joesley Batista relatou à PGR que foi ameaçado pelo advogado Willer Tomaz, preso pela PF.  De acordo com a coluna Radar Online, da Revista Veja, a  prova seriam Mensagens enviadas de um número desconhecido. 
 
Para contar tudo o que sabem da engrenagem de corrupção na administração pública e apresentar provas, os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, ganharam anistia total dos crimes cometidos — mesmo os que estão fora do rol de confissões feitas nos depoimentos recentes que se tornaram públicos. O acordo de delação firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) prevê que os empresários não serão denunciados pelos delitos que relataram, ganharão imunidade em outras investigações conexas em curso e até perdão judicial caso a denúncia já tenha sido oferecida. 
 
A blindagem estendida interessa, e muito, aos irmãos Joesley e Wesley, que são alvo de diferentes investigações em curso, como a que apura fraudes em fundos de pensão.
 
Os benefícios previstos na delação, porém, não são imutáveis, segundo a advogada Alessi Brandão, que trabalha em delações premiadas. Ela explica ao O Globo que a imunidade em investigações é algo mais fácil de ser garantido pela PGR, que pode acionar seus pares em outras investigações para que não denunciem o delator. No caso do perdão judicial, somente o juiz da causa é que pode conceder, explica Alessi.
 
O termo de colaboração premiada prevê ainda que as informações prestadas pela JBS só serão repassadas a outros países se os delatores obtiverem, lá fora, os mesmos benefícios. Para ter acesso aos dados, as autoridades estrangeiras terão de fazer um acordo específico com o colaborador cujos efeitos sejam "no mínimo equivalentes" aos da delação no Brasil ou se comprometer por escrito a respeitar integralmente os termos do acordo com a PGR.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar