Política

Zé Ronaldo diz acreditar na virada e tenta esclarecer informação de que o governador Rui Costa não construiu escolas

[Zé Ronaldo diz acreditar na virada e tenta esclarecer informação de que o governador Rui Costa não construiu escolas]
10 de Setembro de 2018 às 13:56 Por: BNews Por: Redação BNews

O candidato a governador pelo DEM, Zé Ronaldo, foi o primeiro entrevistado na sabatina promovida pelo Bahia Meio Dia, jornal que vai ao ar de segunda a sexta na Rede Bahia. Inicialmente, o candidato foi questionado sobre sua baixa pontuação nas últimas pesquisas. O ex-prefeito de Feira de Santana citou exemplos de candidatos que em eleições anteriores começaram com apenas um dígito nas pesquisas e venceram as eleições: "eu acredito muito que no início do horário eleitoral as pessoas passam a conhecer o candidato. Agradeço e acredito muito em entrevistas como esta que está acontecendo, porque dá oportunidade ao eleitor de conhecer o candidato, saber que têm outros candidatos, conhecer a vida do candidato, conhecer a história, de ver que o candidato tem algo a mostrar a ele. E nós temos uma vida pública que estamos mostrando à Bahia e por todos os cantos que estamos indo". Confiante, Zé Ronaldo afirmou: "eu acredito nesta virada, e acredito que a próxima pesquisa vai dar um resultado muito diferente".

Considerando o ponto fraco do governador Rui Costa, candidato à reeleição pelo PT, a segurança pública também foi tema da sabatina: "eu tenho conversado com a Bahia com frequência. Eu tenho hábito de chegar nos municípios e perguntar se as pessoas estão felizes com a educação, com a segurança, com a saúde. E a unanimidade responde que não estão felizes. Então, a segurança pública, com certeza, é um caos na Bahia. O número de mortes violentas na Bahia ano passado foi de mais de sete mil. O governo não toma atitude, muito pelo contrário". 

O candidato fez questão de comparar o orçamento que é gasto com segurança e publicidade: "o número de recurso que (o estado) investe é pequeno, é 25% do que gastou em publicidade ano passado. Então, é insignificante. O número de policiais também é insuficiente. Fala que nomeou seis mil policiais, que ninguém vê na rua. Porque? Por que aqueles que foram nomeados foi para substituir os que se aposentaram. Fala-se em mais veículos na rua, o que não é verdade. Aqueles veículos que eles falam são para substituir os que não tinham mais condições de uso".

Como solução, Zé Ronaldo apontou: "aumentar os recursos na área da segurança pública, vamos dar prioridade a essa área. Aumentaremos também na saúde pública. E com isso vamos ver o que deu certo em São Paulo, que tem 40 milhões de habitantes e uma segurança pública muito melhor que a nossa". Questionado sobre que medidas são essas, Zé  respondeu: "vamos buscar", e disse que no programa de governo "coloca isso com muita clareza".

Como solução para o problema da insegurança, o candidato salientou: "a segurança pública é uma questão muito complexa. Primeiro tem que ter uma equipe composta de pessoas técnicas, de pessoas competentes, e não por causa de indicação política de A ou B. Tem que ter pessoas que têm capacidade para fazer a segurança pública. Eu vou tomar o comando disso. Não vou ser omisso dentro do processo". Também disse ser preciso "aumentar o efeito das polícias Civil e Militar" e "dar equipamentos para a PM ter condições de enfrentar os bandidos". 

Quando o assunto foi educação e resultado da Bahia no Ideb, ficando em último lugar, Zé Ronaldo comentou sobre como solucionar: "é dar prioridade. Eu acho que o estado tem determinadas secretarias que não são necessárias. Nós diminuiremos o curso dessas secretarias desnecessárias, diminuiremos a estrutura administrativa do estado". Questionado sobre qual secretaria, desconversou: "eu não posso antecipar essas questões. Eu acho que como candidato eu não devo que é a secretaria A, B ou C. Mas tenho afirmado categoricamente que vou dimiuir a estrutura administrativa do estado. Isso tudo é fruto de estudo e como governador eleito vou enviar o projeto para a Assembleia Legislativa da Bahia para que seja aprovado". 

Zé Ronaldo continou no tema ao afirmar que "a educação na Bahia não foi prioridade, tanto no ensino superior quanto no ensino médio". Questionado sobre os números de Feira de Santana, "que também não são bons", segundo a apresentadora Jéssica Senra, o demista retrucou: "mas são melhores. A nossa administração é bem superior ao estado. Se você for olhar o meu governo foi evoluindo. Eu fiquei quatro anos fora do governo e esses índices regrediram. Quanto eu voltei eles avançaram. Se nós estamos evoluindo estamos no caminho certo, ao contrário do estado, que só regrediu e hoje é o pior da Federação. Feira de Santana está na média brasileira, mas estamos evoluindo". A apresentadora esperou o candidato terminar de falar e o corrigiu afirmando que a média brasileira é de 3,8 e Feira está com 3,6, abaixo da média. 

O candidato também foi questionado sobre a informação que consta em seu programa de governo, de que a atual gestão nao construiu escolas estaduais: "eu construí, enquanto prefeito de Feira de Santana, em cinco anos, 18 creches e 14 escolas. Então, o estado dizer que em 417 municípios construiu 30 escola é muito pouco". Questionado se a informação que consta em seu programa de governo se trata de desconhecimento ou foi de proposital, ele voltou ao mesmo discurso: "o estado não tem construído (escola). Ele coloca os municípios? Eu visitei 380 municípios e não achei. Precisa ter mais transparência".

No tema da saúde, sobre a demanda de até 1500 regulações por dia, Zé ronaldo voltou a falar sobre sua gestão em Feira de Santana: "quando eu assumi como prefeito tinham 18 Unidades de Saúde. Eu saí da prefeitura com aproximadamente 150 unidades. Quando comeceina prefeitura Feira gastava 15% do orçamento com saúde, quando saí a prefeitura estava gastando 27% na Saúde. A Bahia gasta, rigorosamente, os 12% que manda a Constituição. A central de regulação é uma revolta na Bahia, com as pessoas chamando de fila da morte. Nós vamos distribuir pelas várias regiões do estado, para facilitar, fazer de forma técnica e não política, porque as pessoas procuram os deputados para conseguir vagas". 

Zé Ronaldo também se comprometeu, caso seja eleito, a construir vários hospitais e abrir leitos: "temos compromisso de abrir hospital no extremo Sul, mais um no Oeste, um na região Sisaleira, um na região Norte e um em Feira de Santana. A Bahia é o estado que mais fechou leitos do Nordeste, foram 3300 nos últimos anos. Vamos abrir todos esses leitos, vamos ampliar. Meu compromisos é ampliar no primeiro ano para 13%, no segundo ano para 14%, no terceiro para 15%". Questionado sobre como executaria todas essas propostas e de onde sairia o dinheiro, o ex-prefito de Feira e candidato ao governo da Bahia pelo DEM afirmou: "será fito com responsabilidade, com pessoas técnicas, competentes, honestas, respeitando o cidadão. (Vamos tirar) do orçamento do estado, aplicando com rigor, com transparência, com seriedade, como eu fiz como prefeito". 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar