Política

Wagner diz que não foi notificado pelo MPF e viu com “estranheza” notícia sobre acusação de improbidade

Arquivo BNews

Ex-governador da Bahia e senador eleito disse que ação não tem nenhuma fato novo

Publicado em 01/12/2018, às 16h04    Arquivo BNews    Redação BNews

A assessoria do ex-governador da Bahia e senador eleito Jaques Wagner manifestou seu estranhamento com notícia repercutida neste sábado (1) sobre a ação da Procuradoria da República em Brasília onde o senador eleito é acusado de improbidade administrativa por conta da nomeação do marido da ex-ministra Ideli Salvatti para um cargo na Organização dos Estados Americanos (OEA). 


Wagner diz que a ação judicial foi em março deste ano, porém, oito meses depois, nunca recebeu nenhuma notificação “ao contrário do que está sendo divulgado”. “Não há nenhum fato novo neste processo e a defesa de Jaques Wagner só se manifestará sobre a denúncia após recebê-la”, diz a nota. 

Em 2015, Wagner, então ministro da Defesa, autorizou a transferência do primeiro tenente do Exército Jefferson da Silva Figueiredo, músico do Exército, para o cargo de ajudante na Junta Interamericana de Defesa da OEA. 

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a nomeação tinha somente o objetivo de unir marido e mulher, já que Ideli havia sido nomeada dois meses antes assessora da OEA. Para o MPF, Wagner ultrapassou os limites do cargo e causou prejuízos ao erário por escolher um militar para uma função que não existia.

Classificação Indicativa: Livre