Política

Caixa realiza mudanças ao saber que TCU poderia investigar discriminação ao Nordeste

Marcelo Camargo/Agência Brasil

De acordo com o Estadão, o presidente da Caixa Pedro Guimarães sugeriu que seus comandados atuassem para evitar apuração sobre descriminação à região

Publicado em 15/12/2019, às 10h29    Marcelo Camargo/Agência Brasil    Redação BNews

Ao tomar conhecimento de que o Tribunal de Contas da União (TCU) poderia aprovar uma inspeção para apurar se os estados da região nordeste foram discriminados pela Caixa, o presidente do banco, Pedro Guimarães, sugeriu a seus comandados que atuassem para evitar a investigação. As informações são da Coluna Estadão, do jornal O Estado de São Paulo.

De acordos com relatos acessados pela publicação, Guimarães disse que a contenção dos empréstimos ao Nordeste, região de maior resistência ao governo de Jair Bolsonaro, foi feita para “agradar ao chefe [Bolsonaro] do meu chefe [o ministro da Economia, Paulo Guedes]”. A Caixa afirma que a inspeção faz parte da rotina de trabalho do TCU após o recebimento de qualquer denúncia.

Anteriormente, em agosto, o Estadão apurou que o banco reduziu a concessão de novos empréstimos para estados do Nordeste em 2019. Até julho deste ano, o banco havia autorizado novos empréstimos no valor de R$ 4 bilhões para governadores e prefeitos de todo o país.

Deste montante, para o Nordeste, foram fechados à época menos de dez operações, que juntas totalizam R$ 89 milhões, ou cerca de 2,2% do total. Em 2018, a região recebeu R$ 1,3 bilhão, o que representa 21,6% dos R$ 6 bilhões fechados pela Caixa em operações para governos regionais naquele ano. Já em 2017, R$ 1,3 bilhão dos R$ 7 bilhões contratados pelo banco foram destinados a governadores e prefeitos nordestinos.

Classificação Indicativa: Livre