Política

Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral

[Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral]
14 de Maio de 2021 às 23:06 Por: Divulgação/STF Por: Mônica Bergamo/Folhapress

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin indeferiu e proibiu a polícia de qualquer ato de investigação a partir da delação do ex-governador do Rio Sérgio Cabral.

"[Determino] que a autoridade policial se abstenha de tomar qualquer providência ou promover qualquer diligência direta ou indiretamente inserida ou em conexão ao âmbito da colaboração premiada em tela até que se ultime o julgamento antes mencionado", afirma o ministro em sua decisão.

Como revelou o jornal Folha de S.Paulo, a Polícia Federal encaminhou ao Supremo um pedido de abertura de inquérito para investigar supostos repasses ilegais ao ministro Dias Toffoli. O pedido tem como base o acordo de colaboração premiada de Cabral.

Ele afirma que Toffoli recebeu R$ 4 milhões para favorecer dois prefeitos fluminenses em processos no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O ministro nega ter recebido qualquer recurso.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar