Política

Pazuello avalia que número de mortos pela Covid-19 no Brasil tem relação com estrutura de saúde do País

[Pazuello avalia que número de mortos pela Covid-19 no Brasil tem relação com estrutura de saúde do País]
19 de Maio de 2021 às 16:05 Por: Jefferson Rudy/Agência Senado Por: Redação BNews

O ex-ministro de Saúde, e general da ativa, Eduardo Pazuello, avaliou que o número de mortos pela Covid-19 no Brasil tem relação com a estrutura de saúde do País". A resposta foi feita durante intervenção do senador Tasso Jereissati (PSDB) durante a oitiva realizada na tarde desta quarta-feira (19).

"Acredito que a curva de óbitos tem a ver com outras faltas de estruturas, nossa resposta de não foi a mais rápida que poderia ter sido. Nossa capacidade de tratar as pessoas poderia ter alcançado um outro nível. Isso tem a ver com a estrutura de saúde em nosso país. Não se faz uma estrutura em um ano", respondeu. 

Ele também ressaltou que a continentalidade do país também pesou. Ele também foi questionado por Jereissati sobre a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de, apesar da crise sanitária, seguir realizando aglomerações e realizar aparições públicas sem máscaras em diversas ocasiões - indo contra a recomendação de entidades como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sobre a questão, Pazuello respondeu: "Acredito - e aí vem uma posição muito pessoal minha - que o presidente da república tem na cabeça dele outros pensamentos quando está agindo desta forma. Ele está, na minha visão, tratando também do psicossocial, a parte da, da, da, da posição do povo em acreditar que isso vai passar. É uma análise minha", disse.

O general da ativa também voltou a negar que tenha cancelado intenção de compra de doses da vacina Coronavac junto ao Instituto Butantan após pressão presidencial, e reafirmou que os comentários de Bolsonaro nas redes sociais e em entrevistas sobre o imunizante nunca lhe foram oficialmente transmitidas. 

A audiência da CPI da Pandemia retornou de seu intervalo na tarde desta quarta-feira (19) com a intervenção do senador Humberto Costa (PT). O petista  mostrou um vídeo em que o presidente fala claramente que mandou cancelar o protocolo de intenção de aquisição da Coronavac. 

Costa também lembrou que dois ministros antecessores de Pazuello acusaram falta de autonomia e avaliou que o general só não faz o mesmo porque fez "tudo que Bolsonaro quis". "Ele deveria estar sentado aí onde o senhor está", avaliou. Ele também opinou que o papel do ministro era ser coordenador, e "não ficar assistindo". 

Ele também disse que não o culpa, e lembrou que, durante o seu comando, o ministério da Saúde mudou a forma de comunicar os dados da Covid-19 no país - o que motivou a imprensa a se organizar em um consórcio para divulgar essas informações. 

Para Costa, Pazuello é leal ao governo e está escondendo o "verdadeiro culpado". Também disse que o ex-ministro deveria ser leal ao povo brasileiro. "Peça desculpas ao povo brasileiro!", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar