Política

Em reunião, 'capitã cloquina' diz que não fornecer medicamento seria "crime contra a humanidade”

[Em reunião, 'capitã cloquina' diz que não fornecer medicamento seria "crime contra a humanidade”]
25 de Maio de 2021 às 09:53 Por: Reprodução/ Youtube Por: Redação Bnews

A secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro, chamada de “capitã cloroquina” por defender a liberação do uso do medicamento no Sistema Único de Saúde (SUS) para o tratamento da Covid-19, defendeu durante uma reunião virtual com procuradores da República, realizada em junho do ano passado, que não fornecer cloroquina a pacientes do SUS poderia configurar “omissão de socorro e crime contra a humanidade”.
 
A reunião foi registrada em vídeo pelo Ministério Público e publicada no portal do órgão. O conteúdo foi retirado da web, mas o material foi recuperado pela coluna da Malu Gaspar, do O GLOBO. 

“Muitos de nós, médicos, serão (sic) julgados daqui a algum tempo por inação, por omissão de socorro, como crime contra a humanidade. E o que nós vamos fazer é possibilitar que esses profissionais que queiram usem seu livre arbítrio e usem o direito que foi orientado e conferido pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), para oferecer à população um direito.", disse Mayra.

Leia também:

Capitã Cloroquina, secretária do ministério da Saúde será ouvida na CPI nesta terça (25); acompanhe

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar