Política

TSE quer ouvir Bolsonaro, ministro da Justiça e participantes de live contra as urnas eletrônicas em inquérito

José Cruz/Agência Brasil

O inquérito administrativo foi aberto pelo ministro Luís Felipe Salomão e em última instância pode tornar inelegível aquele que estiver envolvido no ataque ao sistema eleitoral brasileiro, incluindo Bolsonaro

Publicado em 03/08/2021, às 08h41    José Cruz/Agência Brasil    Redação BNews


A corregedoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começa nesta terça-feira (3) a colher os depoimentos do inquérito aberto em resposta às declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre fraude nas urnas eletrônicas. Além do presidente da República, são aguardados os depoimentos do ministro da Justiça, Anderson Torres, que participou de uma live na última quinta-feira com outros militantes do voto impresso

O inquérito administrativo foi aberto pelo ministro Luís Felipe Salomão e em última instância pode tornar inelegível aquele que estiver envolvido no ataque ao sistema eleitoral brasileiro, incluindo Bolsonaro. A live também foi enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF) para integrar o inquérito das fake news, sob relatoria de Alexandre de Moraes.

A medida do TSE pode ser considerada como a mais dura desde as ofensivas do presidente e de apoiadores às urnas eletrônicas, com sucessivas declarações e mentiras sobre provas acerca de fraudes eleitorais. Depois de um discurso pacificador do presidente do STF, Luiz Fux, o TSE por meio do corregedor Salomão e do presidente Luís Roberto Barroso se mostram dispostos a conter as investidas do presidente contra o sistema que o elegeu por duas décadas.

Classificação Indicativa: Livre