Política

Disputa quente para o Senado

Imagem Disputa quente para o Senado

Borges tenta desarticular estratégia do PT, os petistas rebatem

Publicado em 21/09/2010, às 15h03        Luiz Fernando Lima


O senador César Borges (PR), que tenta a reeleição, mantinha larga vantagem sobre seus principais concorrentes, Walter Pinheiro (PT) e Lídice da Mata (PSB), na maioria das pesquisas de intenção de votos. No entanto, a última consulta Datafolha, divulgada no dia 18, colocou os três em empate técnico.

Na chegada ao debate da TV Itapoan, realizado na noite de segunda-feira (20), Borges afirmou que está tranquilo e acredita na vitória. Entretanto, a confiança não o impediu de alfinetar a postulante socialista, no que pareceu mais uma tentativa de minar a estratégia de voto casado de seus adversários.

A coluna Raio Laser, da Tribuna da Bahia, desta terça-feira (21), traz a declaração de Borges de que Lídice teria sido esquecida pela campanha petista. No entanto, a ex-prefeita reiterou, no debate de segunda-feira (21), que ela e  Pinheiro estão fechados e que não existe nenhum resquício daquilo que nos primeiros meses de campanha foi levantando, inclusive, por correligionários dela mesma, de que o PT estaria privilegiando Pinheiro em detrimento dela.

Outro que prontamente respondeu, ao que entendeu como medida desesperada de Borges, foi o coordenador político da campanha majoritária de Jaques Wagner (PT), e prefeito de Camaçari, Luiz Caetano. Em nota enviada à imprensa, ele afirma que o Republicano queria semear a desavença entre aliados, mas isso não vai acontecer.

Para Caetano, o atual senador não está conseguindo “estancar a sangria da queda nas pesquisas”. Do outro lado, o vice-prefeito de Salvador e candidato ao Senado na mesma chapa de Borges, Edvaldo Brito (PTB) continua defendendo a tese de que as pesquisas não devem pautar as eleições. Segundo o advogado, o universo de entrevistados é muito pequeno e não consegue mapear fidedignamente o cenário eleitoral.

Classificação Indicativa: Livre