Política

Marcelo Nilo fala sobre candidatura ao governo e deseja sorte a ACM Neto

Deputado também justificou a demora na apreciação das contas da Alba

Publicado em 03/12/2012, às 09h21        Redação Bocão News - Twitter: (@bocaonews)




O deputado estadual Marcelo Nilo, que está há seis anos como presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, quase consolidado para mais dois anos à frente da Casa, revelou em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia que pretende ser reeleito com chapa única: “Eu espero ter o apoio das oposições. Vou sentar com o deputado Paulo Azi na próxima segunda-feira (hoje) às 11h para ver se eu faço uma chapa única”. O deputado aproveitou, é claro, para defender a reeleição: “é um direito em que os bons continuam e aqueles que não são aprovados não continuam. Eu respeito muito o PT (que é contra a reeleição, mas deu apoio a Nilo), mas eu sou favorável à reeleição.


Quando questionado se estaria pensando em disputar o governo da Bahia, já que revelou que não tentará reeleição para deputado, Nilo defendeu, indiretamente, sua candidatura: “Quando o governador Jaques Wagner se reelegeu e não poderia ser novamente candidato a governador, a partir daquele momento eu pensei em ser candidato ao governo. Agora, eu só serei candidato se acontecerem três fatores: se eu tiver vontade, se eu estiver preparado e se eu tiver o apoio do governador e do povo”. Toda a Bahia sabe que Nilo tem vontade de sentar na cadeira de Wagner; qualificação ele ressaltou, com toda a modéstia, que tem. O problema agora é para quem o governador vai apontar o dedo e escolher para sucedê-lo em 2014. Mas Nilo cita nomes: “Eu acho que o governador Jaques Wagner tem sete nomes e ele vai escolher um. E todos os sete aceitarão a decisão do governador. Do PT, Rui Costa, Gabrielli [José Sérgio Gabrielli], Walter Pinheiro e Caetano [Luiz Caetano]. Dos aliados, Lídice da Mata, Marcelo Nilo e Otto Alencar. Esses sete é que, se o governador tomar uma decisão política de apoiar um deles, será candidato”.


O presidente da Alba negou veementemente a informação de que o PT estaria condicionando o apoio ao quarto mandato a sua desistência de pleitear uma vaga na chapa de 2014 e que, por isso, ganharia uma vaga no Tribunal de Contas do Estado: “fundamento zero. Ninguém do PT conversou comigo isso. Segundo, não passa pela minha cabeça ir para o Tribunal de Contas do Estado. Se fosse, talvez seria nessa vaga que tem agora, que seria teoricamente mais fácil. Eu sou candidato a governador ou a deputado estadual. Não passa, sob hipótese, na minha cabeça, ir para o Tribunal de Contas”.


Sobre a demora na apreciação das contas da Assembleia pelo TCE, o presidente Nilo explicou: “As duas contas que foram julgadas foram aprovadas. Inclusive a que foi aprovada agora essa semana, com apoio do Ministério Público. Agora, essa pergunta tem que ser feita ao Tribunal, que é composto por conselheiros imparciais e sérios. Mas eles têm muito trabalho. Eles julgam as contas do estado, as contas das empresas, das secretarias. É óbvio que eu fico torcendo e pedindo que julguem minhas contas. Mas essa é uma pergunta que tem que ser feita ao Tribunal”. Ao todo, faltam três contas serem julgadas: 2008, 2010 e 2011.


Por fim, Nilo dá sua opinião sobre a vitória de ACM Neto (DEM) e sua futura gestão em Salvador: “O lado bom dessa história de Salvador é que, mais cedo ou mais tarde, ACM Neto seria prefeito da cidade ou governador. Porque ele fala muito bem na televisão e ser deputado de oposição é fácil. A partir de 1º de janeiro, ele vai ser julgado pela gestão, pela sua administração. Então, daqui a um ano, nós vamos ver como ACM Neto se comportou como prefeito. (...) João Henrique, que fala muito bem na televisão e nas rádios, está sendo julgado pela gestão dele. Portanto, eu desejo sucesso a ACM Neto e podem ter certeza de que o governador Jaques Wagner fará as parcerias que Salvador precisa”.



Foto: Roberto Viana - Bocão News

Classificação Indicativa: Livre