Política

“Trabalhar mais e falar menos”, cobra Otto

[“Trabalhar mais e falar menos”, cobra Otto]
11 de Janeiro de 2013 às 07:16 Por: Luiz Fernando Lima (twitter: @limaluizf)
No próximo dia 26, o presidente estadual do PSD, Otto Alencar, tem almoço marcado, em Salvador, com o presidente nacional da sigla, ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. Dois assuntos devem pautar o encontro das lideranças no novo partido: espaço dos deputados federais da Bahia na Câmara e o papel da legenda nas eleições 2014.

Em conversa com a reportagem do Bocão News, Otto reconhece que o primeiro tema será discutido. “Queremos ocupar um cargo na Mesa Diretora ou liderarmos alguma comissão”. Sobre o segundo tema, o vice-governador se recusou a adiantar. “Acredito ser prematura a discussão sobre eleição de 2014. O ano de 2013 deve ser voltado para a gestão. Quem quiser ajudar o governador Jaques Wagner deve trabalhar mais e falar menos”.

Acumulando a função de secretário de Infraestrutura, Otto afirma que está focado na realização das obras estruturantes que precisam ser iniciadas ou concluídas antes do término do mandato. Lista a Ferrovia Oeste-Leste (Fiol), Porto Sul, Arena Fonte Nova, rodovias, aeroportos e portos. O sistema ferry boat tem um capítulo à parte neste amontoado de projetos que precisam ser tocados com urgência.

“Quando anunciamos a intervenção tornamos público que passaríamos uns seis meses em dificuldade, mas a ação foi necessária para estancar o sangramento. Estamos fazendo um trabalho de reparação dos ferrys como nunca antes e se não o fizéssemos nenhum estaria funcionando hoje”, justifica.

De acordo com Otto, o edital de licitação está sendo preparado, mas o processo é um pouco mais lento por se tratar de uma concorrência internacional. “Vamos adquirir dois ou três ferrys, a empresa que vencer a licitação vai precisar de um tempo que pode chegar a dois anos para construir as embarcações adequadas à nossa necessidade”.

O vice-governador voltou a se queixar da complexidade da lei de licitação que, segundo ele, retarda toda iniciativa do poder público. “Não se trata de abrir a torneira. Temos que ter leis adequadas às necessidades dos estados e municípios. As obras precisam andar, é preciso destravar os processos. Se o Congresso Nacional não tivesse aprovado o Regime Diferenciado de Contratação para a Copa as obras estariam todas paradas”.

UPB

Com a decisão do PT de indicar Rilza Valentim para concorrer à presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB), a situação começa a afunilar. Um dos nomes que aparece como possível adversário da prefeita de São Francisco do Conde na corrida pela sucessão de Luiz Caetano é o do gestor de Santo Estevão, ex-presidente da entidade Orlando Santiago (PSD).

Otto preferiu não entrar no assunto diretamente. O presidente do partido afirma que este é um tema que vem sendo discutido pelos prefeitos e conduzido pelo secretário de Relações Institucionais (Serin) Cezar Lisboa. “O que posso dizer é que Orlando não será obstáculo para a construção da unidade da base”.

O presidente estadual do PT, Jonas Paulo, declarou em diversas oportunidades que a base deve apoiar um nome que tenha caminhado ao lado do governador Jaques Wagner e da presidente Dilma Rousseff na última campanha. Santiago não o fez, contudo, para Otto este não é o melhor dos argumentos para estabelecer restrições.

“Nunca ouvi isso (restrição) da boca do governador. Creio que esta não é uma maneira muito inteligente de lidar com a questão. É discriminatória e preconceituosa. Não é algo que eu faça. Costumo dizer que Deus foi impiedoso com alguns políticos: bloqueou a inteligência e liberou a burrice. Então, quem quiser ser burro, que seja”.

Publicada no dia 10 de janeiro de 2012, ás 13h32

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar