Política

Antônio Brito para Trindade: tem que se informar mais

Imagem Antônio Brito para Trindade: tem que se informar mais

Deputado federal está preocupado com situação de filantrópicas

Publicado em 30/01/2013, às 18h18        Luiz Fernando Lima (twitter: @limaluizf)


O presidente da Frente Parlamentar pelas Santas Casas de Misericórdias, deputado federal Antônio Brito (PTB), voltou a fazer a um apelo para o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), em busca da abertura de exceção na restrição imposta pelo secretário da Fazenda, Mauro Ricardo, de pagamentos de débitos da gestão de João Henrique.

De acordo com Brito, a dívida com as filantrópicas de Salvador chega aos R$ 54 milhões. Contudo, em 28 de dezembro do ano passado chegou aos cofres da prefeitura R$ 17 milhões concedidos pelo Ministério da Saúde, como resultado de mesas de negociação envolvendo o deputado e o secretário estadual da Saúde, Jorge Solla.

“Os recursos foram transferidos no final do ano. A secretária da Saúde de Salvador, à época Tatiana Paraíso, não teve tempo de encaminhar. Fiz o apelo para tentar destravar este pagamento, caso contrário, teremos grandes problemas. Martagão Gesteira, Aristides Maltez, Hospital Português, Espanhol, São Rafael, são alguns dos que precisam destes recursos”.

Brito esteve com Neto que se mostrou sensível à causa. Contudo, não conseguiu obter prazos para o encaminhamento do dinheiro. “É uma verba federal que está no cofre da prefeitura. O pior é que o dinheiro de janeiro também não saiu. Precisamos destravar o processo para garantir a sobrevivência das filantrópicas”.

Semps

Entre 2009 e 2010, Antonio Brito foi secretário do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão do município de Salvador, durante a gestão do prefeito João Henrique. Em entrevista ao apresentador José Eduardo, no Programa Se Liga Bocão, o atual secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Maurício Trindade (PR), disparou contra todos os antigos titulares da pasta.

“Nos últimos quatro anos, tivemos quatro secretários. A pasta estava abandonada e não se gastou. Temos milhões no caixa. Chega a R$ 25 milhões", revelou o secretário. Trindade estendeu o período de “inatividade” por todos os oito anos da gestão de João Henrique.

Em tom apaziguador, mas não menos incisivo, Brito, argumenta que Trindade está mal informado. “Ele precisa se informar melhor. Nós fizemos um trabalho grande em diversas áreas. Principalmente, junto aos moradores de rua, a descentralização do Bolsa Família, os Centro de Referência da Assistência Social (Cras)”.

O novo secretário chegou e demonstra energia para resolver alguns dos principais problemas no campo social. No entanto, Brito ressalta que não se pode desmerecer o trabalho feito por outros. “Ele poderia se espelhar no trabalho de Antônio Brito. Nós conversamos muito em Brasília – Trindade é deputado federal licenciado -, ele participava de comissões junto comigo. Nós podemos trocar informações”.

Wagner

O PTB participa do governo Wagner. É um dos partidos que nutrem a expectativa de ser contemplado com mais espaços nos próximos anos. Até agora, segundo Brito, não houve conversa.

Postada às 13h58 do dia 30/01.

Classificação Indicativa: Livre