Política

Guilherme Bellintani quer acabar com o “exagero” de trios nas ruas

Secretário disse ainda que o Afródromo vai se tornar realidade em 2014

Publicado em 04/02/2013, às 09h43        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

No comando da pasta de Desenvolvimento, Cultura e Turismo de Salvador, o secretário Guilherme Bellintani, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, nesta segunda-feira (04), disse que pretende acabar com o“exagero” na quantidade de trios. 
"O que a gente precisa como poder público, fomentar novas políticas públicas de valorização da rua. Como por exemplo, eu tenho visto em minha opinião um excesso de trios elétricos na rua. A gente tem o circuito da Barra que é o circuito espremido com cerca de 25 trios em única noite e que a gente tem ao final da fila um desinteresse absoluto da população, das pessoas que estão na rua. O trio que passa 2 horas da manhã já não é interessante. Ele custa alto para o poder público e ele não interessa as pessoas. Esse é só um exemplo de novos espaços que podem ser abertos, como, por exemplo, com a redução de trios elétricos para abertura de novos espaços", colocou Bellintani.

Além disso, ele ressalta que o Afródromo deve sair do papel em 2014: "Ele vai ser uma realidade. Esse é o nosso desejo de fazer o Afródromo. Mais importante que isso é a gente se posicionar quanto à relevância dos blocos afros para a cidade. A gente tem um histórico de 20, 30 anos de afastamento dos blocos afros do circuito central, da visibilidade midiática, da percepção das pessoas, da importância cultural do movimento. Acho que o Afródromo retoma essa discussão positivamente. Há dúvidas em relação à questão prática do circuito no Comércio. Mas certamente temos um ano para fazermos tudo bem feito e o Afródromo vira uma marca do carnaval de Salvador".
O secretário do Desenvolvimento revelou também que as dificuldades financeiras da prefeitura podem gerar algum prejuízo para a festa. "De forma nenhuma. O orçamento do carnaval é tido como a parte de um contingenciamento, apesar de que a nossa intenção de reduzir custos é também por contra da situação financeira da prefeitura. É importante a gente gastar menos com o carnaval para poder gastar mais ao longo do ano com outras coisas. É importante a gente dizer que o carnaval é importante, mas é caro e, portanto, quanto mais economizarmos no carnaval mais temos dinheiro para gastar com outras coisas".

Postada às 07h47 do dia 04/02.

Classificação Indicativa: Livre