Cidades

Salinas: vítima do vereador nega ameaça e diz que vai processar o edil

[Salinas: vítima do vereador nega ameaça e diz que vai processar o edil]
25 de Maio de 2017 às 15:27 Por: Redação BNews
Após a briga que foi parar na delegacia entre um vereador e uma moradora de Salinas das Margaridas, no fim de semana, mais um capítulo desta história chegou até a redação do BNews nesta quinta-feira (25). A vítima do vereador, que se identificou como Maria do Rosário Pereira Franco, de 31 anos, procurou a reportagem e se defendeu das acusações do vereador Humberto Raimundo dos Santos Filho (PDT), conhecido como Diego, envolvido na confusão.
 
"Ele me ameaçou. Discuti com minha prima, que ele pega, e ele não gostou. Por isso me bateu", explicou Maria, alegando que a agressão se deu por conta do caso extraconjugal que Diego tem com a prima dela. "Não tem nada a ver com política. Nunca me envolvi na política e meu marido também não é político. Nunca tínhamos brigado antes, nunca havia discutido com ele antes e falava normal com ele e a com a mulher dele", afirmou.
 
Ainda segundo Maria do Rosário, o vereador estava bêbado no momento da agressão. "Ele estava bebendo desde de manhã. Quando apanhei fui na delegacia e quando cheguei lá não pude prestar queixa porque ele já havia prestado e disseram que eu seria intimada. E não deixaram eu prestar queixa, nem fazer corpo de delito. Como ele é vereador acha que tem o poder", disparou.
 
Maria afirma que está com dores de cabeça e arranhões no braço por conta da agressão. "Quero justiça e respeito", afirmou.
 
 
O outro lado
Acusado de agredir uma mulher durante um festejo na Praça de Encarnação, distrito de Salinas das Margaridas, no fim de semana, o vereador Humberto Raimundo dos Santos Filho (PDT), conhecido como Diego, procurou o BNews nesta quinta-feira (25). Para reportagem, o vereador afirmou que está arrependido “de ter perdido a cabeça” e contou que a agressão foi causada por uma briga política entre ele, a suposta vítima, o marido da mulher, e um ex-vereador do município, parente do casal. “É política que está envolvida. Ela me deu um tapa na cara, perdi a cabeça e reagi. Todo mundo me conhece, não tenho passagem nenhuma na polícia por agressão. Essa mulher não tem um mês que bateu no cubano, um médico daqui. Já é acostumada a bater no marido no meio da rua. Me extrapolei. Na hora que ela me deu o tapa eu revidei. Lamento muito pelo fato ocorrido. Me arrependo com certeza. Não é do meu perfil. Todos sabem de minha conduta dentro do município”, explica.
 
Leia mais aqui
 

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar