Cidades

Presidente do PSD em Candeias não conhece filiação do prefeito

[Presidente do PSD em Candeias não conhece filiação do prefeito]
26 de Janeiro de 2013 às 08:39 Por: Lucas Esteves (Twitter: @lucasesteves)
O presidente do PSD em Candeias, ex-deputado estadual Júnior Magalhães, negou saber do processo que colocaria o prefeito da cidade, Sargento Francisco (PMDB), dentro da legenda. O alcaide estaria de saída da sigla dos irmãos Vieira Lima diretamente para a de Otto Alencar. A presidência do diretório em Candeias seria o último “empecilho” antes da filiação, mas Magalhães afirma que não foi consultado oficialmente e que, por enquanto, não há nenhum processo de aproximação entre o partido e o prefeito.
 
“Fiquei sabendo pela imprensa. Fui convidado pelo presidente Otto (Alencar) e ajudei a fundar o partido em Candeias. Estive com o presidente semana passada e não se falou em absolutamente nada relativo a Sargento Francisco no PSD”, esclareceu ao Bocão News. Segundo ele, o prefeito precisa cumprir o trâmite oficial e se reunir com o presidente estadual do partido e solicitar filiação. “Não estou jogando de volta para o colo de Otto, mas o prefeito precisa procurar o presidente e, até onde sei, ele não procurou”, explicou.
 
Instado a opinar se aceitaria ou não o prefeito na sigla, o ex-deputado disse que ainda que haja todo o cumprimento oficial dos rituais de filiação, Sargento Francisco não entrará no PSD local. Adversário político, Magalhães recentemente coordenou a campanha da mãe, a ex-prefeita e ex-deputada federal Tonha Magalhães, que acabou ano passado derrotada pelo atual prefeito. Se depender do presidente do PSD municipal, o prefeito não terá guarida em sua legenda.
 
Ao longo do processo eleitoral de 2012, houve grande desgaste entre as candidaturas de Francisco e Tonha, com acusações mútuas e processos que foram até as esferas superiores em Brasília. A eleição acabou por polarizar os candidatos e o clima na cidade permaneceu tenso até a véspera do pleito. No final, Tonha foi derrotada, mas a oposição tem a maioria das cadeiras na Câmara de Vereadores, o que torna a vida do prefeito mais difícil em seu primeiro mandato.

Postada às 12h52 do dia 25 de janeiro
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar