Coronavírus

Representantes da direita baiana condenam pronunciamento de Bolsonaro: "Irresponsável"

[Representantes da direita baiana condenam pronunciamento de Bolsonaro:
Por: BNews/Vagner Souza Por: Henrique Brinco 0comentários

Representantes da direita baiana condenaram o pronunciamento de Jair Bolsonaro em rede nacional, transmitido nessa terça-feira (24). O presidente pediu a suspensão do isolamento decorrente da pandemia do coronavírus e pediu para que sociedade volte ao trabalho. O Movimento Brasil Livre na Bahia (MBL-BA) e os representantes baianos dos partidos Novo, PSL e DEM se manifestaram.

Leia também: Bairros de Salvador registram panelaços durante pronunciamento de Bolsonaro

O líder do MBL-BA, Siqueira Costa Júnior, seguiu na mesma linha da direção nacional do grupo, que também criticou a fala. "O Movimento Brasil Livre, assim como todo brasileiro que preza pelas vidas, pelo bem estar da população, por empregos e pelo bem da nação ficou perplexo com um presidente que não é formado em medicina e vem a público fazer um pronunciamento de maneira irresponsável, medíocre. Ele tenta mais uma vez medir sua popularidade. Um narcisismo desnecessário".

Para o Partido Novo da Bahia, o pronunciamento foi "inoportuno" e mostrou desorganização no governo. O dirigente da sigla no estado, Francisco Calmon, criticou a escolha de Bolsonaro de recomendar o fim das quarentenas no mesmo dia em que o mundo, em esforço conjunto de combate a Covid-19, assistiu ao adiamento das Olimpíadas de Tóquio. "Parece que o presidente não ouviu o seu próprio ministro da Saúde, que recomenda o isolamento, para fazer o pronunciamento. Isso me remete ao populismo que não queremos mais na vida pública", completou. Apesar de entender que os próximos 15 dias devem ser de quarentena, Calmon refletiu a necessidade da flexibilização gradual das medidas que fecharam comércios e empresas. 

Presidente do Novo em Salvador, Nelson Noguerol,  argumentou que o pronunciamento de Bolsonaro dá mais uma vez a oportunidade do brasileiro entender que precisa menos dos seus governantes. "Por mais que os governos proíbam e baixem decretos, cabe ao cidadão e a sociedade decidir ficar dentro de casa. Precisamos entender que é nossa responsabilidade entender a crise e apoiar nossos vizinhos, colegas e idosos", falou.

A deputada federal e presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel, eleita sob as asas do bolsonarismo em 2018, também criticou o presidente. "As pessoas confundem fidelidade ao país com fidelidade a um homem. Eu jamais seguiria a quem demonstra total despreparo e deslealdade para com a nação", escreveu numa rede social.

Até mesmo o prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, que vinha se resguardando de tecer críticas congra Bolsonaro, reagiu firmemente. "Confesso a vocês que ontem fiquei duplamente perplexo. Como prefeito e como cidadão. Considero que as declarações do presidente são lamentáveis, inaceitáveis", comentou.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas