Coronavírus

Queiroga diz que não foi consultado sobre possível decreto para impedir medidas restritivas

[Queiroga diz que não foi consultado sobre possível decreto para impedir medidas restritivas]
06 de Maio de 2021 às 15:02 Por: Reprodução/Jefferson Rudy/Agência Senado Por: Redação BNews

O ministro Marcelo Queiroga disse que não foi consultado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o decreto que o chefe do  Executivo sinalizou ter intenção de editar com o objetivo de impedir que estados e municípios adotem o lockdown para conter o avanço da pandemia de Covid-19. 

Bolsonaro afirmou na última quarta-feira (5) que a medida seria para garantir a "liberdade de culto, de poder trabalhar e o direito de ir e vir". A declaração foi dada por Quiroga durante sua participação na CPI da Pandemia, no Senado Federal.

A sessão desta quinta-feira (6) da comissão, com participação do atual titular da pasta, retornou de um breve intervalo de 20 minutos com a intervenção do senador Humberto Costa (PT). 

Ele repercutiu com Queiroga declaração do presidente, que sugeriu, também nesta quarta, que a China teria se beneficiado economicamente da pandemia. Na mesma ocasião, Bolsonaro afirmou que a Covid-19 pode ter sido criada em laboratório — tese que não encontra respaldo em investigação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Vamos continuar trabalhando para manter a boa relação que sempre tivemos com a China. Amanhã temos uma reunião com o embaixador chinês. Temos esperança de avançar em temas relacionados à Saúde", respondeu ao senador, após ser perguntado sobre o estado da relação entre os países após constantes ataques de membros do Governo Federal.

Notícia Relacionada

Ministro contraria Bolsonaro e defende autonomia de estados e municípios de impor medidas restritivas

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar