Eleições 2020

Aliança entre PL e Dem em Salvador destitui comissão em Morro de Chapéu e revolta candidatos; entenda

[Aliança entre PL e Dem em Salvador destitui comissão em Morro de Chapéu e revolta candidatos; entenda]
Por: Reprodução / Google Street View Por: Nilson Marinho 0comentários

As costuras políticas feitas entre o Partido Liberal e o Democratas em Salvador na corrida ao Thomé de Souza respingou no rumo das eleições da cidade de Morro do Chapéu, o que desagradou, e muito, representantes do DEM na cidade. Isso porque, em 24 de agosto, a comissão provisória formada por 13 pré-candidatos a vereador foi destituída pelo Diretório Estadual do Partido liderado nacionalmente pelo prefeito ACM Neto.

Acredita-se que o impedimento aconteceu a partir de uma troca de apoio entre José Carlos Araújo, ex-deputado e presidente estadual do PL, e o candidato Bruno Reis. O acerto era de que ao apoiar na aposta de Neto em Salvador, o PL teria nomes indicados pelo DEM na cidade da Chapada Diamantina. Por lá, a candidata Juliana Araújo (PL), filha José Carlos, é tida com a favorita para ocupar o principal assento na prefeitura.

O DEM chegou a conversar com o PL, mas o papo não foi adiante. O partido acabou criando mais intimidade com o PSL, do candidato Dr. Cláudio, opositor de Juliana. O fato ameaçou os liberais. 

“Nós rompemos com o atual prefeito e, de lá pra cá, estávamos trabalhando para fortalecer o partido . Pensando em fazer uma base e buscar pré-candidatos, com a possibilidade de ter um pré-candidato a vice (...) A gente ia publicar o edital no dia seguinte. Estava tudo pronto, mas saiu a destituição da comissão, inclusive colocando pessoas não filiadas”, comentou a ex-presidente do DEM em Morro, Catarina Guimarães Rocha Dourado Lima.

Carta

Os até então pré-candidatos, em uma carta aberta endereçada à população de Morro do Chapéu, afirmaram que a aliança resultou em um “ato antidemocrático”, já que foram impedidos de continuar na corrida eleitoral para darem  espaço para novos nomes sugeridos pelo DEM, que, segundo eles, sequer têm ligação com a sigla. 

“Às vésperas da realização da convenção, cujo o edital seria divulgado no dia seguinte, os filiados e pré-candidatos, pegos de surpresa, viram cercados seus direitos políticos, já que a nova composição da comissão em nada representa os ideais daqueles que que compõem a agremiação. Isso porque, para a nova composição, foram nomeadas pessoas alheias aos quadros que não comungam nem com a história e nem dos anseios e projetos, e sequer são filiados ao partido”, diz um trecho da carta aberta. 

Durante a convenção do PL realiza nesta terça-feira (15), Araújo revelou de apoio à candidatura de Reis e adesão à base de Neto, algo que vinha negando publicamente durante entrevistas. Bruno, por sua vez, retribuiu o apoio afirmando durante o seu discurso de agradecimento que a filha do apoiador iria ocupar o assento de prefeita. “Ficamos com medo da mudança, a mudança é arriscada, ficamos na dúvida, mas que mudar é preciso. Se antes eu tinha dúvida, hoje eu tenho certeza que Bruno vai ganhar, e no primeiro turno”, confidenciou Araújo. 

A destituição da chapa primária do DEM foi um balde de água fria no partido que contava com pelo menos três vereadores eleitos para à Câmara municipal. O grupo acreditava ter ganhado força e popularidade na cidade nos últimos meses. 

“Tal atitude, repita-se, antidemocrática e arbitrária, faz parte de uma estratégia truculenta (...) Querem dessa maneira, e a todo custo, impedir a verdadeira vontade do povo”, diz outro trecho da carta assinada por treze pessoas.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas