Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Eleições

Salvador 2024: O que pensam os candidatos a prefeito sobre Emprego e Renda; confira 

[Salvador 2024: O que pensam os candidatos a prefeito sobre Emprego e Renda; confira ]
26 de Outubro de 2020 às 19:52 Por: BNews Por: Victor Pinto

O prefeito eleito neste ano, se o fluxo da política e da administração seguirem sem surpresas, deve encerrar seu mandato no ano de 2024. Serão quatro anos pela frente para tocar o Executivo e ajudar a constituir projetos em diversos segmentos essenciais para o desenvolvimento da população. 

A série Cidade 2024 faz parte do projeto especial de cobertura das eleições 2020 e tem por objetivo indagar a cada postulante de cidades importantes, de maneira resumida, as principais propostas dos políticos em diversos segmentos. Isso ajuda, de maneira prática e objetiva, o eleitor comparar e escolher o melhor projeto que pode confiar o seu voto. 

Neste sentido, o BNews perguntou a todos os nove candidatos a prefeito de Salvador:

Candidata/Candidato, caso eleito/eleita no pleito de novembro próximo, 2024 será o último dos quatro anos desse mandato eventualmente tutelado. Partindo desse pressuposto, o que teríamos em Salvador, o que encontraríamos na capital feito por sua gestão na área de…

 

E o quarto tema foi: EMPREGO E RENDA

 

Bacelar (Podemos)

“Logo em 2021, direcionaremos 50% da receita do IPVA (90 milhões) para atender 50 mil mães chefes de família. Elas vão receber 300 reais por seis meses. Também com foco nas mulheres, vou trabalhar na geração de 10 mil empregos. E a oferta de vagas será ainda maior através do “Frente de Trabalho Emergencial”, um programa que disponibilizará 50 mil empregos em atividades que não exigem qualificação prévia. Já economia estará aquecida por causa do Banco Popular, que vai permitir crédito fácil e sem burocracia. A sociedade civil e a prefeitura vão trabalhar juntos para financiar os micro e pequenos empreendedores. Além disso, vamos criar a moeda social que vai fortalecer ainda mais a economia nas comunidades. Teremos também o Compra Local, que vai incentivar a aquisição de produtos e serviços no comércio dos bairros”. 

 

Bruno Reis (DEM)

“Gerar emprego terá sido uma prioridade no governo, com destaque aos investimentos públicos em obras e programas, como o Novo Mané Dendê, no Subúrbio, além da constante melhoria no ambiente de negócios, com a simplificação dos processos de licenciamento, abertura de empresas e incentivos fiscais, estimulando a iniciativa privada a investir, gerando novos postos de trabalho. Essas ações foram responsáveis por gerar, de imediato, 50 mil empregos. Com o Centro de Inovação no Subúrbio, inserimos os bairros populares na economia do século XXI. Também estimulamos o empreendedorismo, facilitamos o acesso ao microcrédito e promovemos programas de qualificação profissional”

 

Celsinho Cotrim (Pros)

“Com a economia aquecida e o SIMM funcionando a todo vapor e os cursos de capacitação formando profissionais há quatro anos, Salvador saiu do vice ranking de capital do desemprego e, agora, alcança o ranking oposto, de cidades que mais empregam no Brasil. O fortalecimento do comércio teve grande importância nesse processo também, a ponto de estarmos, em 2024, como cidade atrativa para empreendedores e indústrias de fora”.

 

Cezar Leite (PRTB)

“Em 2024, Salvador será a capital com maior taxa de empregabilidade do Nordeste. Atingiremos essa meta com a chegada e criação de grandes, médias e pequenas empresas, atraídas através de um plano ostensivo de desregulamentação da economia, que promoverá a redução de impostos e até mesmo extinção de determinadas taxas, de modo a dar fôlego a quem produz e gera empregos. Estimularemos o turismo náutico e levaremos desenvolvimento econômico ao Subúrbio com a Rota de Todos os Santos além da criação de pólos têxtil, tecnológico e de audiovisual em Cajazeiras e Cidade Baixa”

 

Hilton Coelho (PSOL)

“Salvador precisa deixar de ser a cidade dos negócios de meia dúzia de famílias e valorizar a economia popular. Vamos criar o Banco do Povo, com linhas de financiamento para as atividades econômicas desta cidade, valorizar suas tradições, capacitar as pessoas e integrar suas cadeias produtivas. É dessa forma que apoiaremos os trabalhadores autônomos e os pequenos e microempresários que nunca foram priorizados. Paralelo a isso, vamos criar a Renda Básica Permanente, para as famílias mais  vulneráveis, assim como a população em situação de rua e setores da comunidade LGBTQIA+”

 

Major Denice (PT)

“Nossa cidade agora é uma cidade inteligente, do futuro, e que gera trabalho e renda a partir da economia criativa tão característica dos soteropolitanos e soteropolitanas. Turbinamos o programa de intermediação profissional da Prefeitura, que virou a maior plataforma de oferta de serviços e produtos de pequenos comerciantes da cidade, integrada à qualificação e capacitação para o empreendedorismo. Também abrimos, e foi um sucesso, 13 Centros de Inovação e Tecnologia, com Fablabs, impressoras 3D, espaços maker, cowork, mentoria, estúdio e ilhas para produção de conteúdo, formação e capacitação. E com o programa 'Meu Corre Certo', programa de microcrédito, demos orientação técnica profissional, cursos de empreendedorismo, ofertamos equipamentos e insumos, além de termos dado apoio logístico para comerciantes e pequenos empresários informais, para que eles pudessem melhorar seus negócios e crescer. Na prática, somos uma cidade em que o desemprego não é um problema, porque nosso povo produz e tem renda a partir das suas habilidades.”

 

Olívia Santana (PCdoB)

“Vamos propor um desenvolvimento integrado da cidade, que inclui a dinamização de todos os segmentos da indústria e de serviços com potencial de geração de trabalho, emprego e renda. Incentivaremos o desenvolvimento local nos bairros, através do estímulo à economia popular e solidária

 

Pastor Sargento Isidório (Avante)

“No primeiro dia útil da gestão Isidório e Eleusa será colocado em prática o projeto chave para a retomada econômica da cidade: o MAIS EMPREGO; MENOS IMPOSTOS que consiste essencialmente em incentivar abertura de novos negócios, indústrias na cidade concedendo às empresas benefícios  no seu primeiro ano fiscal (quanto mais novos postos de trabalho gerados o<a> empresário<a> pagará menos impostos e taxas municipais). Além de por em ação uma moratória de verdade para as empresas com débitos tributários contraídos no período da pandemia do novo coronavírus. Ao fim do 1º mandato, certamente, Salvador não constará mais no pódio macabro que ocupa há mais de 8 anos como uma das capitais com mais desempregados do país. Este macro-objetivo será alcançado também por conta do novo centro comercial que nascerá no entorno da Nova Rodoviária em Águas Claras (Cajazeiras) e o fomento do Polo Logístico de Pirajá, Porto Seco e Valéria. Além manejo mais eficaz  de todo o potencial turístico e econômico da nossa Baía de Todos os Santos, até lá com certeza já teremos novas marinas ao longo de toda Cidade Baixa e Subúrbio Ferroviário

 

Rodrigo Pereira (PCO)

“O desemprego, no Brasil, cresce cada dia mais. O governo fascista e ilegítimo, apoiado pelo congresso nacional, aprova cortes dos direitos dos trabalhadores, como as reformas da previdência e trabalhista, além do salário mínimo ser uma fraude. A cesta básica aumentou 20% durante a pandemia. Fruto da política genocida dos fascistas. Nós do PCO lutamos por uma jornada de trabalho de 35 horas por semana, assim todos poderão trabalhar. Também lutamos por um salário mínimo de 5 mil reais. Só assim, será possível que o trabalhador tenha acesso a moradia, saúde, transporte, educação e lazer. Por isso, pedimos que todos se juntem nessa mobilização pela derrubada do governo fascista e ilegítimo e de todos os golpistas que ajudaram a colocá-lo no poder. Por um governo dos trabalhadores da cidade e do campo! Por um governo socialista!”
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso