Eleições

Ex-parlamentares tentam retomar cadeiras na AL-BA e na Câmara dos Deputados

[Ex-parlamentares tentam retomar cadeiras na AL-BA e na Câmara dos Deputados   ]
24 de Setembro de 2018 às 13:10 Por: Juarez Matias/Arquivo/BNews Por: Fernanda Chagas

Pelo menos 13 figuras já conhecidas em suas distintas bases eleitorais tentam retomar os seus antigos assentos na Assembleia Legislativa (AL-BA) e na Câmara Federal e, consequentemente o status de poder que as elegeram, em sua maioria, por mais de um mandato. Para a AL-BA, oito candidatos almejam esse retorno. Já no Congresso Nacional somam-se cinco.  

No âmbito estadual, apenas dois integram a oposição: Joseph Bandeira (SD) e José Tude (DEM). Bandeira, que é advogado e professor universitário, obteve nas eleições de 2006 uma suplência de deputado federal pela Bahia na legenda do PT, exerceu o mandato entre fevereiro de 2007 e agosto de 2008, ocupando a vaga do deputado Luís Alberto.

Em 2010, disputou novamente uma vaga de deputado federal, mas com 55 mil votos ficou com uma suplência. Retornou à Câmara em março de 2011, em função da licença do titular, João Leão, tendo permanecido no cargo por um ano.

Em 2012, tentou se lançar candidato à prefeitura de Juazeiro mais uma vez, tendo enfrentado resistências na direção estadual do partido, que optou pelo apoio à tentativa de reeleição do mandatário, Isaac Carvalho, do PCdoB.

Sem o apoio petista, Bandeira teve a candidatura cancelada e, em seguida, optou por deixar também o partido. No ano seguinte, ingressou no PSB e hoje é filiado ao Solidariedade, legenda pela qual tenta uma cadeira no legislativo estadual.

O democrata José Tude, em outubro de 1994, disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados pela Bahia na legenda petebista, obtendo uma suplência. Seus votos foram conquistados sobretudo em sua base eleitoral, no município de Camaçari. Logo no início da legislatura, em 3 de fevereiro de 1995, assumiu o mandato na Câmara dos Deputados no lugar de Eraldo Tinoco (PFL).

Em julho de 1996, licenciou-se da Câmara para candidatar-se à prefeitura de Camaçari na legenda do PTB no pleito de outubro daquele ano. Eleito, deixou a Câmara dos Deputados em 31 de dezembro do mesmo ano, sendo empossado na prefeitura da cidade baiana em 1º de janeiro de 1997. Sua cadeira foi ocupada por João Carlos Bacelar, atualmente no Podemos.

Em 2000, Tude se reelegeu prefeito de Camaçari novamente na legenda do PTB. Denunciado por fraude eleitoral, porém, renunciou ao cargo em abril de 2002. No mesmo ano disputou, nas eleições de outubro, uma vaga de deputado estadual, já agora pelo PFL, e foi bem sucedido, elegendo-se com mais de 62 mil votos. E agora 16 anos depois tenta retornar ao Parlamento. Durante esses anos dedicou sua carreira à política de Camaçari, cidade na qual já foi prefeito, vice, secretário, entre outros.

Seis governistas históricos -  Nesse rol encontram-se seis governistas históricos, a exemplo do comunista Álvaro Gomes, que foi eleito deputado estadual por três legislaturas (2003-2007, 2007-2011 e 2011-2015).  Gomes teve atuação marcante na defesa do consumidor, com destaque para a universalização da telefonia e internet.

Ainda o pessedista Clóvis Ferraz, hoje membro da Executiva Estadual e presidente do PSD em Vitória da Conquista. Ferraz já presidiu a Assembleia Legislativa e foi deputado por quatro mandatos e líder de governo.

No ninho petista, engloba-se o ex-deputado federal Geraldo Simões (eleito em 2010), que  em 2014 tentou renovar seu mandato, mas os 55.636 mil votos obtidos nas urnas não foram suficientes para concretizar o objetivo. Agora, o ex-prefeito de Itabuna por dois mandatos afirma que vai brigar por uma vaga no legislativo estadual.

Ainda com grande experiência no Congresso, o petista Luiz Alberto tenta retornar à política via Assembleia Legislativa. Luiz Alberto, nas eleições de 1994 candidatou-se a deputado federal pela Bahia pelo PT e obteve uma suplência, assumiu o mandato em caráter efetivo em janeiro de 1997, em substituição a Beto Lélis, do PSB e exerceu-o até o fim da legislatura em 1999.

Tendo obtido novamente uma suplência em 1998, foi efetivado em 4 de janeiro de 2001, assumindo o lugar de  Geraldo Simões, do PT. Na ocasião fundou o Núcleo de Parlamentares Negros do PT.

Em 2002 foi eleito deputado federal. Empossado em fevereiro de 2003, articulou a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Igualdade Racial.

Ainda em 2005 assumiu a vice-liderança do PT na Câmara, função que exerceu até maio de 2006. Em outubro desse ano, foi convidado por Jaques Wagner, do PT, governador eleito da Bahia, a integrar o governo do estado. Licenciou-se do mandato de deputado e em fevereiro de 2007 e assumiu a Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade. Deixando a secretaria, reassumiu o mandato na Câmara em 11 de agosto de 2008.

A também é ex-prefeita de Barreiras, Jusmari Oliveira (PSD),  eleita deputada federal pelo PFL em 2006, integrou a Comissão de Direitos Humanos e Minorias e a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. Em 2007, trocou o PFL pelo Partido da República (PR), pelo qual foi eleita Prefeita de Barreiras em 2008.

Em 2011, trocou o PR pelo Partido Social Democrático (PSD), sendo derrotada em sua candidatura à reeleição em 2012.Em 2014, concorreu a deputada federal, obtendo a suplência. Em 2017, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia por nomeação do Governador Rui Costa.

Maurício Trindade, que foi eleito deputado federal por dois mandatos, hoje nas hostes governistas pelo PR, licenciou-se do mandato na legislatura 2011-2015, para assumir o cargo de secretário de Desenvolvimento Social em Salvador, em 3 de janeiro de 2013.  

Na esfera federal cinco figuram lista - Na esfera federal, nomes como o do ex-comunista histórico, deputado estadual por dois mandatos e deputado federal por um, o hoje pessedista Edson Pimenta chama atenção.

Além dele, integra a lista o ex-democrata, hoje no MDB, Gerson Gabrielli, que foi eleito pelo período de 1 de fevereiro de 1999 até 31 de janeiro de 2007 pelo DEM.

O ex-pedetista Marcos Medrado, hoje filiado ao Pode, também tenta retornar para a Câmara Federal.

O petebista Severiano Alves, que sempre atuou pela bandeira da Educação, foi deputado federal por dois mandatos no PDT e hoje também almeja retomar seu trabalho.

O pugilista Acelino Popó Freitas (PDT) se lançou candidato a deputado federal pela Bahia nas eleições de 2010 pelo PRB, não foi eleito como deputado, ficando na primeira suplência. Devido à indicação do deputado Mário Negromonte (PP) para o Ministério das Cidades, herdou a vaga e foi diplomado. Hoje tenta retomar o post

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar