Eleições

Especialistas divergem sobre impacto do cancelamento de 3,3 milhões de títulos

[Especialistas divergem sobre impacto do cancelamento de 3,3 milhões de títulos]
27 de Setembro de 2018 às 10:05 Por: Adenilson Nunes/BNews Por: Guilherme Reis

Especialistas ouvidos pelo BNews discordam sobre os impactos que o cancelamento dos 3.368 milhões de títulos por falta de recadastramento biométrico terá nas eleições. Nesta quarta-feira (26), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por 7 votos a 2, rejeitou uma ação do PSB para que os eleitores que não conseguiram se recadastrar pudessem votar. 

“Essa ação é oportunista, veio na véspera da eleição. Não vejo prejuízo para as eleições, porque não há como mensurar quem votará em determinado candidato”, avalia a advogada eleitoral Deborah Guirra. 

Ela acredita que, por falta de informação, eleitores que tiveram seus documentos cancelados irão às urnas no próximo dia 7 e serão impedidos de votar. “Acredito que haverá muito esse problema”, diz. 

Já para o historiador político Carlos Zacarias, o candidato do PT à presidência da República, Fernando Haddad, poderá sofrer prejuízos, já que o Nordeste, região onde lidera nas intenções de votos, foi também a campeã em cancelamentos de títulos. Apenas na Bahia foram 586.333, a maior quantidade entre os estados. "Mas não acho que vá alterar o resultado das eleições”, ressalta. 

De acordo com Zacarias, isso não deve resultar em eventual cancelamento do pleito. “Quem for derrotado vai reclamar e vai ao TSE, mas isso não deve resultar em uma decisão contrária às eleições”, acredita.

Na sessão de ontem, no TSE, o relator Alexandre de Moraes atendeu a um pedido do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) e informou que eleitores foram convocados por avisos nas contas de luz e água, por SMS, anúncios em rádio e TV e em partidas de futebol.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar