Eleições

Pelegrino centraliza propostas em alinhamento entre governos

[Pelegrino centraliza propostas em alinhamento entre governos]
15 de Agosto de 2012 às 23:22 Por: Luiz Fernando Lima (twitter: @limaluizf)
Com uma desenvoltura maior neste segundo debate, o candidato Nelson Pelegrino (PT) demonstrou que a estratégia da campanha é imutável: o alinhamento entre governo federal, estadual e municipal é o mote. Menos preso, como a própria candidata à vice-prefeita da chapa, Olívia Santana (PCdoB), afirmou, o petista conseguiu apresentar alguns dados e propostas durante o embate da noite desta terça-feira (14) na TV Aratu.

De acordo com ele, o debate começou a ser mais esclarecedor. “Acho que o debate passou a mostrar quem tem propostas e quem tem competência para tirar Salvador desta difícil situação. Nós há quatro anos concorremos contra a atual administração porque divergíamos dos rumos que João Henrique havia adotado. Agora, nós estamos apresentamos de novo um projeto para cidade. Um projeto que se propõe a reinstaurar a ordem, a autoridade pública, o planejamento, a gestão e acima de tudo, a prioridade a questão social”.

Assim como seus adversários, Pelegrino rechaça quaisquer vinculações com o prefeito do PP. No entanto, o partido de João Henrique compõe a coligação do petista. Vale ressaltar que a secretaria de comunicação municipal enviou nota à imprensa nesta terça afirmando que João Henrique permanece imparcial nesta corrida pela sucessão.

Pelegrino passa ao largo disso e se concentra a afirma que o “nosso projeto tem um correspondente nacional e outro estadual com os governos Dilma, Lula e Wagner. Salvador precisa viver este momento. Salvador precisa mudar e a mudança é a frente todos unidos por Salvador”.

Questionado sobre um cenário hipotético, no qual ele (Pelegrino) vence a eleição agora, mas o PT perder os governos federal e estadual em 2014, como ficaria a gestão, o candidato se resumiu a dizer que o prefeito, na ocasião, terá muita dificuldade. “Mesmo fazendo a lição de casa, sem apoio do governo do estado e sem governo federal vai ter dificuldade”.

Houve uma interpretação de que tanto ele quanto Mário Kertész bateram pesado em ACM Neto. Sobre isso, Pelegrino afirmou que se ACM Neto foi o mais procurado no debate é “porque ele tem mais a dever”.

Matéria originalmente publicada às 14h04 do dia 15/08.

Foto: Gilberto Júnior // Bocão News
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar