Política

Em gravação, presidente do Pros diz ter pagado irmã de desembargador

Reprodução

Presidente do Pros disse que fez pagamentos parcelados a advogada irmã do desembargador e relator de ação envolvendo disputa de poder no partido

Publicado em 05/08/2022, às 18h30    Reprodução    Redação BNews

Marcus Holanda, presidente do Pros até esta sexta-feira (5), afirmou que realizou pagamentos "picados" à irmã do desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Diaulas Costa Ribeiro, que votou favoravelmente a uma ação de seu interesse.

Em uma gravação da conversa, obtida pelo jornal Folha de S. Paulo, Holanda disse que fez pagamentos parcelados à advogada Raquel Costa Ribeiro, irmã do desembargador e relator no TJ-DF da ação envolvendo a disputa de poder no partido.

"Tem recebido sim, chu, chu, chu, chu... picado", falou Holanda. A antiga direção da legenda, conforme reportagens anteriores da publicação, negociou compra de uma decisão favorável na primeira instância e no TJ-DF. O material levanta a suspeita de um acerto de R$ 5 milhões em torno da promessa de uma sentença favorável de Diaulas.

O voto de Diaulas foi seguido pelos outros dois colegas da turma e colocou Holanda e seus aliados no comando do partido em março deste ano.

No entanto, hoje, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, reconduziu o fundador do Pros, Eurípedes Jr., à presidência do partido, desfazendo uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) tomada ontem. 

A decisão liminar, ou seja, de caráter provisório, é mais um capítulo da dispota que tem alterado o comando da legenda nos últimos dias.

Eurípedes Jr. é favorável à aliança da sigla com o ex-presidente Lula (PT). Marcus Holanda, por sua vez, bancou a pré-candidatura do coach Pablo Marçal, que chegou a ser lançada no último domingo (31).

Siga o TikTok do BNews e fique por dentro das novidades.

Classificação Indicativa: Livre