Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: briga de titãs em Salvador

[Na Sombra do Poder: briga de titãs em Salvador]
28 de Setembro de 2017 às 05:52 Por: Arquivo BNews / Reprodução Por: Editoria de Política0comentários

Briga de Titãs

O Parque dos Ventos, ali onde ficava o antigo Aeroclube, virou palco, mesmo antes do Réveillon, de uma briga de titãs. A liminar suspendendo a festa, a indenização e a disputa judicial entre o prefeito ACM Neto e o grupo que comprou o local para construção de um novo shopping ganhou contornos enormes. Para se ter uma ideia do tamanho da confusão, o bate boca via WhatsApp, que o BNews teve acesso, tinha adjetivos impublicáveis.

Saudoso

Fernando Barros, dono da Propeg, e Neto quebram o pau. O ex-marqueteiro de ACM (o avô) apelou, inclusive, para a amizade que tinha com o ex-senador, morto em 2007. Neto impassível não diminuiu o tom. O que resta saber é como ficará a relação entre a principal agência que atende a prefeitura e o prefeito. Além deste eixo, o empresário Carlos Laranjeira, tradicional na Bahia e também braço direito de ACM na OAS em outros tempos, também está na briga. 

Tem tucano

Não bastassem os dois Barros e Laranjeira, tem ainda o senador Tasso Jereissati que hoje preside o PSDB nacional. Ou seja, a briga econômica é de cachorro grande.

Ninho

Por falar em ninho tucano, para Imbassahy está cada vez mais difícil a permanência no partido. Com Aécio afastado, suspenso e sem poder sair à noite, a corda está prestes a estourar. As movimentações rumo ao PMDB falharam e agora é tempo de jogar xadrez e não dama.

MDB

Os peemedebistas acreditam mesmo que vão conseguir limpar a barra da reprovação popular mudando de nome. Vão extrair o “P”, mas a cara continua a mesma. Por aqui, Pedro Tavares conseguiu anular as investidas de caciques de outras legendas que queriam abocanhar o espaço do partido que tem o maior tempo de televisão e a maior cota do fundo partidário.

Excalibur 

O deputado da reforma da Previdência quer porque quer ocupar o espaço deixado pelo clã Vieira Lima. Bateu o pé que sofreu o desgaste por relatar o projeto natimorto da reforma das aposentadorias e agora quer gritar que a vez dele chegou. Se reuniu com Herzem Gusmão, prefeito de Conquista desgastado que é do PMDB, para articular obras no terceiro maior colégio eleitoral da Bahia. Mas, quem acompanhou a reunião sabe que Arthur Maia pode até sentar na távola, mas não liderará o PMDB na Bahia nem a pau.

Pros 

Os deputados Manassés, Alan Castro e Jurandy Oliveira estão de malas prontas para o Pros. O partido é comandado na Bahia pelo assessor de Ronaldo Carletto. O deputado federal do PP tentou fazer uma operação para ir ao PR e tentar a vaga na majoritária. Sua obsessão, no entanto, viu que o PR não vai conseguir. Partiu então para controlar uma legenda para chamar de sua e quem sabe conseguir um espaço para, pelo menos, disputar a vaga.

Contras

O problema é que os argumentos de Carletto estão longe de convencer a turma que manda. Esta turma está hoje fechadinha e sem nenhuma vontade de abrir a porta. Lá, com Neto, talvez seja até mais fácil, mesmo assim, poucos apostam no sucesso da engenharia.

Pedro pedreira

Pedro Tavares tem viajado muito para cumprir o papel ao qual foi designado. Assumir o PMDB da Bahia tem sido uma tarefa de tirar o fôlego. Conseguiu a garantia do presidente nacional Romero Jucá para continuar trabalhando. Tem ao seu lado Leur Lomanto Júnior, peemedebista orgânico com uma família que reinou no partido por estas bandas. Tem grandes chances de barrar imposições de fato, mas não é fácil.

Esperando o trem 

Quem não quer dar sopa para o azar é o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis. Ele tem inflado nos bastidores os peemedebistas para que deem sustentação a Pedro Tavares. Não se trata apenas de coleguismo. O fato é que Pedro Tavares é bem mais próximo de Bruno e, portanto, bem mais flexível que os irmãos Vieira Lima. 

Aquela velha história 

O prefeito ACM Neto não fala do PMDB. Diz que seu partido é o Democratas. Mas, mantém sempre um espaço na agenda quando está em Brasília para tratar do partido aliado. Interlocutores do prefeito na Câmara dos Deputados sondaram Jucá para saber da possibilidade dele “assumir” o controle da legenda por aqui. Obviamente, colocando alguém dele lá. Mas ele nega, ou melhor, negará se questionado.

Camaçari em chamas

Paulo Azi (DEM) foi um dos fiadores da campanha do prefeito de Camaçari, Antônio Elinaldo. Indicou duas figuras expressivas no governo. Só que uma coisa é certa: a cidade é um poço onde brota dinheiro e onde tem dinheiro tem briga feia. A turma de Helder Almeida tomou para si o controle da marionete Elinaldo. Azi, que não nasceu ontem, também o quer. E neste jogo de João bobo o pau está quebrando. As faíscas já tomaram conta do cenário e combustão é caso sério no Polo Petroquímico. Vai explodir a Torre de Babel logo logo.

Rastro

Questão levantada por todos nos bastidores da política na Bahia. Quais digitais mais serão encontradas no apartamento dos R$ 51 milhões? Tem uma turma em pânico e a PF tem ajudado muito com aquele silêncio que precede o esporro.

Bye bye Melo

O prefeito ACM Neto já está se movimentando para a provável queda do secretário de Infraestrutura e Obras Públicas, Almir Melo. O peemedebista é ligado a Geddel Vieira Lima e o prefeito quer “limpar” os gedelistas da sua gestão. De acordo com interlocutores do demista, Melo também já sabe que deixará a pasta e por isso não comparece mais aos eventos da prefeitura. 

Salve, Jorge

A informação é a seguinte: desta vez a exoneração de Jorge Portugal sai consensualmente. Ninguém no governo quis se antecipar a Rui, mas o fato é que já foi sacramentada a decisão. Agora, resta saber quem assume. Rosemberg Pinto tem a pedida.

Fica, Reis

Tem secretário de governo que fica retado e às vezes ironiza publicação em colunas como esta. Uma informação: jornalista ouve uma, duas, três fontes e se tiver juízo sabe separar o que é plantado daquilo que é semeado. 

Recado dado

Se por um lado Rui Costa tirou o discurso da oposição no que se refere ao pagamento das emendas, por outro, continua tendo problemas na própria base. Não consegue votar o empréstimo porque, desta vez, desagradou a turma do PP. O pessoal não gostou nada de ver o vice-governador João Leão ser desautorizado em remanejamento que faria em Iaçu quando estava como chefe do Executivo em exercício. O que dizem é que Josias Gomes ligou para Rui e Rui vetou. A turma progressista retou.

Recado velado

Resta saber por que Paulo Rangel, que é do PT, não apareceu na votação. Sabe-se que é amigo de Ronaldo Carletto, mas é petista antigo. Enfim, fica a pergunta.

É Rock, bebê

O Rock in Rio deve ter sido memorável para muita gente. E o que o bairro Pau da Lima tem com isso? Nada. Ops, quase nada. O subprefeito de lá, Jean Sacramento, deu tempo nas demandas da região, que devem ser muito poucas, para curtir uma semaninha por lá!

Ciumeira

A pequena oposição ao prefeito ACM Neto na Câmara Municipal de Salvador está de fato em frangalhos. A atuação tem sido tão abaixo na média que o popular “farinha pouca, meu pirão primeiro” tem imperado. Aladilce Souza (PCdoB) tá de bico torcido para Zé Trindade (PSL). O que ele assina, ela rebate. Tá um fuzuê. E o professor Edvaldo (PSD) só reage quando é provado na sua área de atuação, isso de acordo com os próprios pares.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas