Política

Com aval de ACM Neto, baianos do DEM votam por projeto favorável a Dilma

[Com aval de ACM Neto, baianos do DEM votam por projeto favorável a Dilma]
08 de Maio de 2015 às 07:58 Por: Reprodução Por: Victor Pinto (Twitter: @victordojornal)

A ida do prefeito ACM Neto (DEM) para Brasília não foi só para obtenção de recursos para obras futuras de prevenção, mas também para articulações políticas. Na votação da Medida Provisória 665/14, que dificulta a obtenção do seguro-desemprego, do abono salarial e do seguro-defeso, projeto que beneficia os ajustes financeiros do governo Dilma, toda bancada do DEM baiano votou favorável. Foram eles: Paulo Azi, Elmar Nascimento, José Carlos Aleluia e Claudio Cajado.

Segundo levantamento disponível do site da Câmara Federal, oito de 22 parlamentares do mesmo partido do prefeito soteropolitano disseram sim o MP após, segundo a Folha, articulações juntas com o vice-presidente da república, Michel Temer (PMDB). O assunto soou estranho, mas deixa evidente um namoro às avessas entre siglas oposicionistas, como o DEM e o PT.

Como forma de se explicar, prontamente Aleluia enviou nota através de sua assessoria com a confirmação de que sua posição sempre foi “favorável ao ajuste”.

“Quem perde eleição não pode fazer oposição irresponsável e destrutiva. Faço a política da responsabilidade e da transparência. Nunca escondi a minha posição a favor do ajuste fiscal. Não faço coro ao ‘quanto pior, melhor”, diz a nota ao mesmo tempo em que criticou a condução do orçamento federal na mão do PT desde 2003.

“Continuarei combatendo firmemente o PT no Congresso, mas nunca serei contra o Brasil. Não é a primeira vez nem será a última que votarei em defesa do Estado brasileiro e dos interesses dos cidadãos contra o desemprego e a inflação”, completou o democrata no texto.

DEM de Temer

De acordo com informações de fontes ligadas ao Bocão News, o sucesso da negociação de ACM Neto em Brasília para conseguir obras para Salvador passou, necessariamente, pela garantia de que oito deputados do DEM votariam com o governo Dilma Rousseff.

Com estes termos, o prefeito conseguiu os oito votos, quatro de deputados federais baianos.  

Como votaram os baianos

Por um placar geral de 252 votos a favor contra 227 contra, o Plenário da Câmara aprovou a MP. Toda bancada baiana do PCdoB (Alice Portugal, Daniel Almeida e Davison Magalhães), PP (Cacá Leão, Roberto Britto, Ronaldo Carletto e Mário Negromonte Jr), PR (Jonga Bacelar e José Rocha), PSD (José Nunes, Paulo Magalhães e Sérgio Brito), PT (Afonso Florence, Caetano, Jorge Solla, Moema Gramacho, Valmir Assunção e Waldenor Pereira).

O PMDB da Bahia também votou favorável com o voto de Lúcio Vieira Lima e o PTN com Bacelar.

Votaram contra os parlamentares do PRB (Tia Eron e Márcio Marinho), PSC (Irmão Lázaro e Erivelton Sanata) e PSDB (João Gualberto e Antônio Imbassahy). O PSB da Bahia, representado por Bebeto foi contra e Solidariedade com Arthur Maia.  PTB teve a abstenção de Antônio Brito, mas e o voto contra Benito Gama. Uldurico Pinto do PTC também disse não.

Sobre a proposta, o trabalhador terá direito ao seguro-desemprego se tiver trabalhado por pelo menos 12 meses ininterruptos nos 18 meses anteriores à demissão. Antes, o trabalhador precisava de apenas seis meses.

 

Publicada no dia 7 de maio de 2015, às 16h

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar