Política

Chapa do prefeito e vice de Camaçari é acusada de fraudar eleição

[ Chapa do prefeito e vice de Camaçari é acusada de fraudar eleição ]
Por: Gilberto Júnior /Arquivo Bocão News Por: Tamirys Machado 0comentários
A chapa de Elinaldo Araujo e José Tude, prefeito e vice-prefeito de Camaçari, eleitos em outubro de 2016 é acusada de fraudar as eleições municipais. Ação de Impugnação do Mandato Eletivo foi movida por José Alves de Oliveira Filho, candidato a vereador no município no último pleito, sob alegação de irregularidades e fraudes na apuração dos votos, favorecendo candidatos eleitos. A Justiça notificou Elinaldo e Tude e ambos têm até o dia 8 de março para responder à denúncia. 
 
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmou ao Bocão News nesta sexta-feira (3) que houve o pedido de impugnação e o juiz está aguardando a resposta dos citados. A denúncia encaminhada à Justiça Eleitoral cita Adriano Freitas Silva como possível facilitador de ações que teriam beneficiado a chapa do democrata. 
 
O denunciante garantiu ao site Camaçari Fatos e Fotos que Adriano Freitas teve acesso ao sistema eletrônico por ser Supervisor do Pólo de Informática, na empresa Indra Brasil Soluções Tecnológicas S.A, responsável por dar suporte as Eleições Municipais de 2016 no Estado da Bahia. Entre as suas atribuições estava a carga e lacração das urnas eletrônicas de município. Ainda segundo o site, o denunciante apresentou à Justiça Eleitoral documentos, fotos e vídeos, provando que houve manipulação no resultado das urnas.
 
 
 
Porém, conforme o TRE, o técnico não chegou a trabalhar no cartório eleitoral. “Ele nem pisou os pés lá, a própria empresa fez a substituição”, disse o assessor de comunicação do órgão. 
 
Ele explicou ainda que no dia da eleição houve um problema no sistema de divulgação não só em Camaçari, mas em diversas cidades como Feira de Santana e Salvador, o que causou desconfiança e criticas dos candidatos derrotados. Porém, conforme o TRE, o problema foi no sistema de divulgação e não de apuração. “O sistema de divulgação parou por volta de meia hora, mas o problema foi no sistema de divulgação e não na apuração. O sistema de divulgação não parou hora nenhuma, não houve nenhum problema técnico em nenhuma urna da Bahia”, disse, explicando também que o Divulga (aplicativo que mostra o resultado das eleições), puxa os dados do sistema de apuração do Tribunal Regional Eleitoral. 
 
Ao Bocão News, o secretário de Comunicação da prefeitura de Camaçari afirmou que o prefeito e vice já foram notificados e irão responder à Justiça, porém não adiantou o teor da resposta, afirmando que os advogados da chapa estão cuidando do caso. 
 
A denúncia diz ainda que Adriano Freitas Silva seria genro de Helder Almeida (presidente do Democratas de Camaçari e chefe do gabinete do prefeito). No entanto, em contato com a reportagem, Helder Almeida diz que a informação é falsa e nega "qualquer ligação familiar" com Adriano Silva. Almeida ressalta que a única filha que possui, Isis Lobo de Souza, "convive em união estável há sete anos com o pai sua filha, inexistindo qualquer relação com o citado na ação".
 
O chefe de Gabinete da prefeitura diz também que vai acionar judicialmente o autor da ação, José Alves de Oliveira Filho, por difamação injuriosa, devido à "falsa alegação de parentesco" mencionada na denúncia. 
 
Matéria atualizada em 04/3 às 8h55.
 
Publicada originalmente em 03/03 às 16h42

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas