Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Vereador de Mata de São João acusa rádio de sonegação fiscal

[Vereador de Mata de São João acusa rádio de sonegação fiscal]
07 de Julho de 2017 às 11:07 Por: Reprodução Por: Redação BNews

Em pronunciamento realizado na última semana na Câmara Municipal de Mata de São João, o vereador Sérgio Bogoió (PSD) acusou a rádio comunitária Laser FM de receber pagamento por publicidade e camuflar o recurso como “doação para a cultura”, configurando, segundo ele, sonegação fiscal. Procurado pelo BNews, o pessedista reiterou a fala e acrescentou que a rádio foi criada em 2002 e desde então permaneceria controlada pela mesma família. “É uma rádio que foi criada no nome de uma família, não beneficia as pessoas”, declarou.

Ainda de acordo com o vereador, uma empresa que presta serviços de publicidade para a prefeitura faz pagamentos ao site Mais Região, parceiro da Laser e que repassa os recursos à rádio. Ele ainda disse que, no estatuto, o alcance da emissora deveria ser de 1 km, quando na verdade alcança 10 km.

Bogoió, que afirma ter protocolado uma denúncia na Anatel e no Ministério das Comunicações, garantiu que a rádio recebeu no ano passado cerca de R$ 200 mil. Ele também acusou dois locutores da Laser de serem assessores fantasmas da Câmara Municipal.

Em contato com o BNews, o coordenador da rádio Laser, Welden Clay, refutou as declarações do vereador e disse que irá processá-lo. “Não existe contrato algum firmado entre a rádio e órgão público. Ele denegriu a imagem da minha família e estamos entrando judicialmente contra ele. A rádio faz a parte dela no social, não há nada de errado, está toda documentada”, garantiu.

Por sua vez, o editor do site Mais Região, Gabriel Seixas, disse que a parceria com a Laser é como qualquer outra que é feita entre veículos de comunicação, e classificou o ato do edil como “factoide”. “Ele fez acusações infundadas, vereador tem o objetivo de ferir a nossa imagem. Quando ele não era vereador, ele denunciou as assessorias da Câmara ao MP, alegando que eram ilegais. E quando ele se elegeu, fizemos esse questionamento, perguntando se ele iria entregar a assessoria. Temos parcerias com vários veículos e órgãos, como a rádio Laser FM. A prefeitura anuncia no site como anuncia em qualquer outro. Infelizmente, o vereador tem conturbado muito o ambiente da Câmara. Recebemos muitas mensagens dizendo que o vereador faz acusações infundadas”, relatou ao BNews.  

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso