Política

Deputado faz representação contra Kannário no MP-BA por roupa com nome de facção no Carnaval

[Deputado faz representação contra Kannário no MP-BA por roupa com nome de facção no Carnaval]
Por: Reprodução/ Instagram Por: Redação BNews 0comentários

O deputado estadual Capitão Alden (PSL) protocolou uma representação contra o cantor Igor Kannário por se apresentar no Carnaval de Salvador com roupas que assemelham ao uniforme da Polícia Militar e colocar nelas a inscrição “Comando da Paz”. Para o parlamentar, o também deputado federal fez referência a uma facção criminosa de mesmo nome que atua na capital baiana, incitando o crime.

As apresentações, ocorridas nos dias 1º e 4 de março, provocaram polêmica. O cantor justificou, na verdade, tentou homenagear os PMs e que a inscrição mostra que os agentes são promoventes da paz. O prefeito ACM Neto (DEM) também saiu em defesa de Kannário, dizendo que, se a cantora Ivete Sangalo tivesse desfilado no Carnaval da mesma forma, não teria sido questionada.

Segundo Alden, a conduta do cantor é um “insulto a lei e aos bons costumes, e mais do que nunca, demonstra total dissonância com as diretrizes do governo federal que em um esforço hercúleo, tenta minimizar a dor e o sofrimento de milhares que sofrem ameaças e tiveram seus entes queridos assassinados por estas organizações criminosas”.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Deputado Capitão Alden protocola representação contra Igor Kannário A presente petição tem por finalidade levar ao conhecimento so Procurador do ministério publico as questões ilegais ocorridas nos dias 01 (primeiro) e 04 de marco de 2019, durante o Carnaval de Salvador. Onde o mesmo apresentou-se no trio elétrico do circuito carnavalesco vestindo uma fantasia que se assemelha a um uniforme militar, ostentando uma manicaca,ou seja um distintivo de braço fazendo referência clara e indubitável a Facção Criminosa Comando da Paz. Isso ocorreu no momento que o governo federal, em parceira com os governos estaduais estão se unindo para combater as organizaões criminosas, onde inclusive foi proposto pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, um Projeto de Lei Anticrime onde passará a ser considerada "organização criminosa" qualquer grupo a partir de quatro pessoas "estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas" cujos integrantes atuem com o "objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem de qualquer natureza, mediante a prática de infrações penais. Isso é uma medida importante já que, hoje, muitos governantes sequer admitem a atuação destas facções, tentando minimizar o poderio ilícito de seus integrantes. A conduta de Igor Kannário, que se definiu como COMANDANTE DO COMANDA PAZ, é um insulto à lei e aos bons costumes, e mais do que nunca, demonstra total dissonância com as diretrizes do governo federal que em um esforço hercúleo, tenta minimizar a dor e o sofrimento de milhares de famílias que sofrem ameaças e que tiveram seus entes queridos assassinados por estas organizações criminosas. Isso também é uma falta de respeito a estas famílias e vai de encontro as ideologias defendidas pelo partido que o acolheu que prega a justiça, a defesa da pátria, dos cidadãos de bem e dos agentes de segurança pública. Como se não bastasse, o Igor Kannário proferiu gestos obscenos em frente ao Camarote da PM, despeitando desta forma não só as organizações militares e os profissionais de segurança pública, como também, toda a sociedade baiana!

Uma publicação compartilhada por Capitão Alden (@capitao_alden) em

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas