Política

João Roma afirma que liderança do governo deve ser tratada diretamente com presidente

[João Roma afirma que liderança do governo deve ser tratada diretamente com presidente]
17 de Maio de 2019 às 11:03 Por: Arquivo BNews Por: Marcos Maia 0comentários

Os deputados federais baianos Cláudio Cajado (PP) e João Roma (PRB) estão cotados para substituir o atual líder do governo da Câmara, Major Vitor Hugo (PSL). As informações são da coluna do jornal O Estado de São Paulo. Também são citados pela publicação os parlamentares Aguinaldo Ribeiro (PP), João Campos (PRB) e Marco Feliciano (Pode). Alguns destes já teriam sido procurados pela deputada e líder do governo Joice Hasselmann (PSL).

Ao BNews, João Roma confirma a sondagem, mas acrescenta que efetivamente não houve nenhuma tratativa sobre o assunto ao longo da semana. Desta maneira, o deputado afirma que não foi procurado por Hasselmann. "Não até porque o líder do governo é uma posição que deve ser tratada diretamente com o presidente da república", explicou. Desta forma, ele avalia que não caberia a uma líder do governo convidar um eventual substituto. 

Segundo apuração do Estadão, Jair Bolsonaro ainda não está convencido da necessidade de mudar a liderança. Essa não é a primeira vez que o nome do deputado é citado em um contexto de substituição do atual líder do governo. Contudo, desta vez, colegas de Roma escutados pelo jornal paulista acham que não é um bom momento para ele assumir o posto. 

Eles citam os desentendimentos colecionados por Roma ao longo da tramitação da Medida Provisória 870, que trata da reorganização dos ministérios e órgãos do Executivo. Questionado sobre o fato, Roma diz que compartilha deste entendimento, e assume que seu nome está desgastado em virtude da MP 870.

"Isso de fato ocorreu, uma vez que eu defendi a permanência do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras] no ministério da Justiça", avalia. Ele cita os nomes de Arthur Lira, líder do PP, e Elmar Nascimento, líder do DEM, como alguns dos parlamentares insatisfeitos com sua posição a respeito do tema. 

Sobre as indisposições gerada pelas discordâncias a respeito da matéria, Roma afirma que não se arrepende "nem um milímetro". O deputado avalia que o Brasil passa por um momento "muito preocupante" e que prefere não especular a respeito de uma eventual substituição do atual líder do governo.

"Me restrinjo a aguardar o episódio acontecer. Caso o presidente me convide, vou conversar com ele para saber o que ele pensa a respeito. Só então me posicionarei ", conclui, acrescentando que segue focado em dar continuidade ao seu trabalho na câmara. 
A reportagem do BNews também procurou, sem sucesso, o Deputado Cláudio Cajado para repercutir o assunto.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas