Política

Pimentel rompe com Bolsonaro após grampo com Dayane; secretário se reuniu com Neto na sexta

[Pimentel rompe com Bolsonaro após grampo com Dayane; secretário se reuniu com Neto na sexta]
19 de Outubro de 2019 às 14:36 Por: Divulgação Por: Henrique Brinco

O secretário de Trabalho, Esporte e Lazer de Salvador, Alberto Pimentel (PSL), anunciou nas redes sociais o rompimento com o presidente Jair Bolsonaro (PSL). A decisão é anunciada na mesma semana em que a mulher dele, a deputada federal Dayane Pimentel, foi flagrada em um grampo durante uma reunião de deputados do PSL. Foi nessa reunião que o deputado federal Delegado Waldir (PSL-GO) afirmou que implodiria o governo. 

Durante a conversa, Dayane comenta sobre a lista com as assinaturas para colocar o deputado Eduardo Bolsonaro na liderança do PSL na Câmara Federal. Ela faz parte da tropa que defende a parmanência de Luciano Bivar (PSL-PE) no comando nacional do partido. "O presidente diz: ‘Assina, senão é meu inimigo’. Quem é que não ia assinar? Por isso que eu não fui", disse a parlamentar, no áudio vazado na imprensa.

A partir de então, Alberto e Dayane passaram a ser chamados de "traidores" pelos eleitores do presidente nas redes sociais. A parlamentar, inclusive, se viu obrigada a bloquear os comentários no Instagram. Ela, no entanto, ainda não se posicionou abertamente sobre o caso. Procurada pela reportagem, a assessoria da baiana ainda não se manifestou sobre o caso. No Twitter, ela se limitou a comentar um vídeo compartilhado por Eduardo em que ele compila todos os programas eleitorais dos agora ex-aliados do presidente. "Trabalhamos como loucos. Cada um fazendo sua parte e estamos sendo atacados por não concordar com um projeto de família. Queremos um projeto de país", escreveu ela.

Na manhã deste sábado (19), Alberto foi ao Instagram tecer críticas contra o chefe do Palácio do Planalto. "Estou adorando ver os malucos deixarem de me seguir, não aguento mais tanta gente doida e insensata enchendo o saco!", postou. "Fui contra Lula, Dilma, Temer e acreditei nesse projeto Bolsonaro, porém não acredito mais. Sigo defendendo o que é correto e justo, pois, para mim, nada mudou – continuou sendo eu e quem quiser seguir uma política de fanatismo que fique bem longe de mim!", escreveu em outro trecho. Ele também chegou a discutir com os internautas nos comentários.

O novo posicionamento de Pimentel, segundo fontes do BNews, coincide com a realização de uma reunião com o prefeito ACM Neto (DEM), na manhã desta sexta-feira (18). O gestor quer manter o PSL no arco de alianças carlista para turbinar a provável campanha do vice-prefeito Bruno Reis (DEM) na eleição de 2020 em Salvador. Nem a sigla e nem Bolsonaro, no entanto, devem ter protagonismo no pleito da capital baiana. Reis procura um nome no campo da esquerda para compor a vice na chapa.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar