Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

15 de março: Grupos bolsonaristas divergem sobre cancelamento das manifestações em Salvador

[15 de março: Grupos bolsonaristas divergem sobre cancelamento das manifestações em Salvador]
13 de Março de 2020 às 15:42 Por: BNews Por: Henrique Brinco

Grupos bolsonaristas baianos divergem sobre a realização ou não das manifestações governistas contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) convocadas para o próximo dia 15 de março, em Salvador. Alguns decidiram manter a realização do evento, no Farol da Barra, às 10h. Já outros defendem a realização do ato apenas na esfera virtual diante da orientação do próprio presidente Jair Bolsonaro para evitar a proliferação do coronavírus.

Leia também: 15 de março: Grupos bolsonaristas divergem sobre cancelamento das manifestações em Salvador

O vereador Cezar Leite (PSDB), integrante do Movimento Médicos Pelo Brasil e um dos principais apoiadores da criação do Aliança Pelo Brasil na Bahia, emitiu um comunicado em que afirma ter decidido não mais propagar notícias ou chamamentos para o dia 15. "Vou na Barra mesmo porque continuo andando em shoppings lotados, hospitais, metrô,  mas não vou continuar replicando a convocação, manifestação popular e cada um age como acha que deve", declarou ao BNews.

O advogado Henrique Quitanilla, do Movimento Advogados do Brasil, por outro lado, afirma que "os bolsonaristas têm sido firmes em todas nas redes sociais e WhatsApp em afirmar que vão para as ruas mesmo assim e foi levantada hoje a hashtag #DesculpeJairMasEuVou".

"Então, mantém-se a manifestação concentrada na Barra, popular, no chão, sem ligação com o trio elétrico desse pessoal do centrão que quer surfar em cima, mesmo com o pedido do presidente no sentido contrário, pois estamos todos muito indignados com a chantagem do Congresso Nacional de constranger o Executivo eleito e não permitir que governe, especialmente após a derrubada do veto anteontem que gerou mais 20 bilhões de dívidas no Orçamento federal desse ano sem indicar a fonte", reforça.

O também advogado Leandro De Jesus, coordenador do Aliança Pelo Brasil na Bahia, que ontem havia confirmado ao BNews o cancelamento da manifestação soteropolitana, também afirma agora que vai manter o apoio ao ato. "Após ouvir as ruas, ouvir a vontade do povo direitista que luta e defende este país, considerando a resposta dura que temos que dar aos chantagistas do congresso, decidimos manter a manifestação aqui em Salvador e vai ser gigante", avisa.

Entre os grupos que defendem a manutenção, estão o Mobiliza Bahia Conservadora, Direita Independente da Bahia, Bolsonaristas e Militância Direita Salvador, entre outros.

Na Bahia já foram confirmados três casos de pacientes infectados, todos em Feira de Santana. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), eles estão em quarentena. A pasta também recomendou a não realização da Micareta de Feira de Santana. Em Salvador, o prefeito ACM Neto anunciou a suspensão do Festival da Cidade, que seria realizado no dia 29 de março.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso