BNews Folia

Empresários do carnaval visitam o Bocão News e contam tudo do Comcar

[Empresários do carnaval visitam o Bocão News e contam tudo do Comcar]
18 de Maio de 2015 às 23:01 Por: Marivaldo Filho Por: Caroline Gois (Twitter: @GoisCarol)
Quatro grandes nomes do Carnaval da Bahia visitaram a redação do Bocão News um dia antes das eleições que reelegeu o presidente do Conselho do Carnaval (Comcar), Pedro Costa.
 
Guto Ulm (Associação dos Blocos da Barra), Tinho da Associação Brasileira de Entretenimento, seção Bahia, Márcia Mamede  (Associação dos Blocos Alternativos da Barra) e Washington Paganelli (Associação dos Blocos de Trio)estiveram no site para apoiar a candidatura de Pedro Costa, que chegou a ser alvo de denúncias por parte de outro grande carnavalesco, Windson Silva, um dos dez membros da Associação de Blocos de Trios e dono do Cheiro de Amor.
A polêmica que se arrasta desde o ano passado já virou alvo de denúncias junto ao Ministério Púbico da Bahia. De um lado, Windson critica o regulamento do Comcar e chegou a dizer que a eleição, tendo Pedro Costa como candidato era ilegal. “Fosse por mim essa indústria desumana e que privilegia meia dúzia de gatos pingados e ainda por cima tem a chancela dos governos municipal e estadual, que investem mais nas chamadas entidades ricas e poderosas de Momo do que na educação e na saúde, já tinha há muito sofrido transformações no intuito de contrariar sempre os bem aquinhoados. O Carnaval virou  um comércio escuso que ultrapassa as cordas e as paredes bem protegidas dos camarotes dentro dos quais jorram milhões de reais”, disparou Windson Silva em audiência sobre o Carnaval realizada na Câmara Municipal.
 
Entretanto, os carnavalescos questionam a postura de Windson. “A candidatura é legítima e Pedro Costa representa o Turismo do Estado. É o melhor nome para representar o Conselho”, afirmou Márcia Mamede. Já Tinho da Abre afirma lamentar a postura de Windson, “já que o objetivo é contribuir para a maior festa popular do mundo. Acho que é uma questão pessoal”, disse, tendo a fala complementada por Paganelli. “Ele acha que foi um golpe. Mas, desde quando ele foi presidente da ABT não nos representava. Não marcava reuniões e acho que ele sentiu ter perdido a cadeira no Conselho”, disparou.
 
Ainda conforme os carnavalescos, as mudanças implicadas no regulamento por Windson Silva beneficiavam apenas ao bloco dele e nada era levado à discussão da maioria. “Ele fez um regulamento dele. Tanto que até o MP não acatou já que existia algo retrógrado e prejudicial aos blocos”, explicou Tinho, referindo-se à tão polemizada fila. “Não há venda de lugar. Há junções de blocos. Algo sempre permitido dentro do bom senso e legalidade do Carnaval”. Já Mamede reforçou: “Foi aí que o MP nos deu um prazo para entregarmos um novo regulamento do estatuto do Carnaval, após aprovação da maioria, sob pena de pagarmos uma multa de R$ 10 mil caso descumpríssemos o prazo”.
 
 
 
Já para o presidente da Associação de Blocos de Trio (ABT) e dono do Bloco Muquiranas, Washington Paganelli, "ele diz coisa que não está  acontecendo e não encontro sentido em ver alguém tentando denegrir a imagem de uma pessoa que está onde está para trabalhar em prol de uma das maiores festas populares do planeta", defendeu, enaltecendo a gestão de Pedro Costa. Para Paganelli, Windson se contradiz quando fala de Pedro Costa, "já que ele mesmo votou e apoiou Pedro Costa nas eleições do ano passado, quando foi vice-presidente", afirmou, reforçando que não há irregularidades nas eleições do Conselho.
 
Quando questionado sobre a denúncia de Windson, sobre pagamento para se obter vaga na frente da fila, Paganelli diz desconhecer esta prática. "O consenso sempre existiu e temos mais de 300 blocos. Apenas um (o Cheiro) está reclamando. É estranho apenas uma pessoa falando. Windson não tem cadeira no Concar e é apenas um dos dez membros da ABT. Falo com ele e o ouço, mas deve ter coisa pessoal e as críticas dele não têm fundamento nenhum", disparou.
 
Eleições
 
O Conselho é formado por 25 membros representativos dos poderes Executivo (Gabinete do prefeito, Saltur e Secretaria Municipal de Saúde), Legislativo e Estadual (Bahiatursa, secretarias estaduais de Saúde e de Segurança Pública – polícias militar e civil – e um membro indicado pelo governo do Estado para compor a Coordenação Executiva do Carnaval de Salvador).
 
Além disso, possuem assento no Comcar o Conselho Baiano de Turismo; o Sindicato dos Músicos da Bahia; a Federação das Entidades Carnavalescas; as associações de Artistas Plásticos, de cronistas carnavalescos, de Blocos de Trios, de Blocos de Salvador, e Baiana de Trios Independentes; Entidades Carnavalescas; Clubes Carnavalescos; e segmentos Afro, Afoxé, Percussivo e Índio.
 
Diante das discussões das quais os carnavalescos afirmam que Windson está sozinho, Pedro Costa foi reeleito com 23 votos contra quatro votos de Paulo Leal e cinco abstenções,  Pedro Costa agradeceu o apoio dos conselheiros e prometeu uma gestão mais democrática e efetiva para "lutar por um carnaval que gere mais emprego e renda para a Bahia e para Salvador. 
 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar