Cidades

Utinga: em greve, servidores municipais relatam péssimas condições de trabalho

[Utinga: em greve, servidores municipais relatam péssimas condições de trabalho]
09 de Maio de 2015 às 07:30 Por: Divulgação / Sindiuti Por: Vinícius Ribeiro (Twitter: @vin_ribeiro)

Manifestação no Centro da cidade

Servidores municipais de Utinga, na região da Chapada Diamantina, decretaram greve por conta de uma série de reivindicações que não estão sendo atendidas pela prefeitura. Com os braços cruzados desde o dia 29 de abril, trabalhadores de Educação e Saúde chegaram a ocupar a sede do Executivo na tentativa de pressionar o prefeito Alberto Muniz, que é ex-presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e presidente da Associação dos Prefeitos da Chapada Diamantina.

A mobilização dos servidores busca reajuste salarial no valor de 10% para nível superior, 15% para nível médio e técnico, e 10% para progressão do nível fundamental; além de melhorias nas condições de trabalho. Segundo a agente de Saúde e Endemias, Eliene Sales, eles não dispõem de Equipamento de Proteção Individual (EPI), enquanto que as demais categorias, inclusive os que trabalham em hospitais, não recebem adicional de insalubridade.

"Estou trabalhando há três anos com a mesma blusa, porque a prefeitura não dá uma peça extra. As bolsas usadas no trabalho foram compradas pelos próprios servidores. Não tem bota, muitos usam o sapato ‘domingueiro’ para trabalhar", contou Eliene ao Bocão News.

Servidores na Câmara de Vereadores

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores de Utinga (Sindiuti), Berenilton Leal, o prefeito Alberto Muniz recusa as intenções de diálogo. "No início, entre uma greve e outra havia negociação. Mas, a partir deste ano ele disse que não teria conversa", disse. Berenilton ainda relatou ao site que o prefeito Alberto Muniz tentou proibir que a greve fosse protocolada na prefeitura travando o acesso da documentação sindical na Casa. O prefeito ainda teria ameaçado descontar as diárias dos grevistas, mas, a determinação só não foi à frente por conta de liminar judicial.

Na tarde desta sexta-feira (8), os servidores de Educação e Saúde do município se reúnem em assembleia na sede do Sindicato dos Servidores de Utinga para debater os próximos passos da mobilização. Segundo informado por Berenilton, um ato panfletário será realizado na próxima segunda-feira (11), dia de grande concentração na cidade por conta da feira local. 

O Bocão News tentou diversas vezes nesta manhã ouvir o prefeito Alberto Muniz, através do telefone de contato da Prefeitura de Utinga, mas as ligações não foram atendidas na sede administrativa da cidade.  

Atualizada às 9h45 de sábado (9). 

Matéria originalmente postada dia 8

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar