Cidades

Forro de teto de Campus da UFRB em Amargosa desaba

[Forro de teto de Campus da UFRB em Amargosa desaba]
24 de Setembro de 2011 às 16:20 Por: Redação Bocão News
Parte do forro de três salas do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), em Amargosa,  desabaram  na manhã de sexta-feira (23), devido aos últimos dias de chuva.
 
De acordo com o blog Amargosa News,  os estudantes já haviam sinalizado que existiam inúmeras infiltrações no prédio, além de problemas na infraestrutura do pavilhão de aulas do CFP e da residência universitária.
 
As condições dos prédios da universidade são um dos itens reivindicados pelos estudantes que decidiram paralisar as aulas desde o último dia 1º. Na última quinta-feira (22)  o  Coletivo de Paralisação dos Estudantes da UFRB divulgaram uma nota à comunidade. Leia na íntegra
 
NOTA A COMUNIDADE
 
Seguindo o princípio da autonomia e respeito a todos os membros da sociedade, o Coletivo de Paralisação dos Estudantes da UFRB, #ParalisarParaMobilizarUFRB, vem por meio desta informar que estará presente para Mesa de Negociação, dentro das condições estabelecidas pelo coletivo, com os 10 representantes discentes, e os 30 suportes.
 
A título de informe, deixamos clara a importância na manutenção do registro audiovisual das Mesas de Negociação, o que configura a democratização no acesso aos assuntos discutidos e deliberados.
Assim, reiteramos a necessidade da Reitoria fazer valer a vocação democrática da Universidade, tantas vezes lembrada nas notas publicadas pela própria Reitoria, abrindo espaço para as postagens do Movimento Estudantil, uma vez que a mesma não apresentou justificativa legal para esse impedimento.
Ainda neste sentido, convocamos a Reitoria e os Diretores de Centros para mais uma Mesa de Negociação, dia 23 de setembro (sexta-feira), às 16h00min e deixamos explícito que esta Mesa se configura como última tentativa de definição da metodologia.
 
Por último, deixamos aqui nosso repúdio à postura da Reitoria em relação aos assuntos da PROPAAE, quanto ao não funcionamento de suas atividades, uma vez que para outras, de interesse da Direção, estão em funcionamento. Com isso, entendemos essa atitude como boicote a todos os estudantes e principalmente os seus assistidos, posto que não há impedimento por parte do movimento, quanto ao pleno funcionamento relativo às atribuições da PROPAAE.
 
Em tempo, exigimos mais uma vez e de forma clara, a necessidade da Universidade prestar um esclarecimento público, sobre o caso de Ademir Fernando, estudante encontrado morto próximo às dependências da UFRB, em junho de 2010.
 
Vale lembrar que este estudante de Cinema permaneceu acampado por quatro meses, no pátio do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), necessitando de assistência à moradia, médica, psicológica e alimentar, as quais lhe foram negadas.
 
O Movimento Estudantil da UFRB prossegue autônomo e em luta.•.
Coletivo de Paralisação dos Estudantes•.
Cruz das Almas – BA, 22 de setembro de 2011.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar