Esporte

Bahia responde a nota da Antoniu's

[Bahia responde a nota da Antoniu's]
03 de Fevereiro de 2013 às 08:49 Por: Redação Bocão News (@bocaonews)
Na última semana, o Presidente Marcelo Guimarães Filho concedeu entrevista ao portal Terra, esclarecendo alguns pontos citados na matéria do repórter Dassler Marques.

Diante dos esclarecimentos prestados, a Empresa Antoniu’s decidiu publicar uma nota oficial rebatendo alguns pontos, que serão esclarecidos abaixo:
 
Na entrevista ao Terra, o Presidente Marcelo Guimarães Filho afirmou que “a Antonius  ganhou mais dinheiro em transferências”.
 
A afirmação é verdadeira e o que o Presidente quis dizer foi que a empresa citada, que tem mais de 30 jogadores no clube, ganhou mais em transferências e não em venda, baseando-se, por exemplo, na transferência de Zé Roberto do Internacional para o Bahia, valor que correspondia a dois salarios do atleta. Além, evidentemente, do histórico de vendas e negociacões de atletas do Esporte Clube Bahia feitas por tal empresa ao longo de seus anos de atuação, o que, a principio, é absolutamente normal e legítimo.
 
Ainda na nota a Antoniu´s afirma que  “não ganharam absolutamente nada nas vendas de Filipe, Maranhão, Paulinho e Gabriel “. Vamos aos fatos:

Com relacão ao atleta Filipe, como já dito inúmeras vezes, a Antoniu’s não detinha nenhum percentual econômico do atleta nem a sua procuracão para negociar, portanto não auferiu nenhum ganho econômico.

O Esporte Clube Bahia  detinha 50% do atleta e os outros 50% eram divididos entre a Calcio (20%), Virtus(15%) e Almeida Dale (15%).

Já no que se refere ao atleta Paulinho ocorreu o seguinte: o presidente atendeu um pedido de Antônio Terceiro( Terceirinho, sócio da Antoniu’s) e o recebeu, juntamente com o Vice Presidente Tiago Cintra, no escritório do clube na região do Iguatemi, acompanhado de um “investidor” espanhol interessado na compra do referido atleta.

Devido ao histórico de indicisplina de Paulinho e em comum acordo com o departamento de divisões de base, após um acordo financeiro, o Bahia vendeu os 50% dos direitos econômicos a que tinha direito. Os outros 50% perteciam, ou pertencem( cabe a empresa se quiser ou não esclarecer ) a Antoniu’s.



O que o Bahia sabe, dito por Antônio Terceiro, Terceirinho, ao departamento de futebol do clube é que esse percentual já havia sido vendido. Mas não cabe, e não interessa,  ressalte-se, ao Bahia procurar saber o que um empresa privada faz com seus ativos, no caso, nos 50% dos direitos econômicos de um atleta ( Paulinho ).

Supomos, apenas supomos, que não deve ter havido “doação” desse ativo, diante inclusive de todo o trabalho de intermediação da negociação em questão. Da mesma maneira com relação a uma negociação esquecida pela empresa em sua nota oficial: Ananias! Atleta que o Bahia vendeu 50% de seus direitos econômicos a Portuguesa, como é sabido, e os outros 50% perteciam, ou pertencem( repetimos que cabe a empresa esclarecer ou não, se quiser ) a Antoniu’s.

Agora vamos a negociação do atleta Maranhão. O Esporte Clube Bahia detinha 70% desse jogador e a empresa Bahia Soccer( com sede em Feira de Santana , porque existe outra empresa com o mesmo nome ) possuia os outros 30%.

Nota originalmente postada às 11h do dia 2

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar