Geral

Na luta contra exploração sexual infantil

[Na luta contra exploração sexual infantil]
15 de Abril de 2011 às 07:03 Por: Redação Bocão News

Com olhos voltados para a Copa de 2014 no Brasil, entidades baianas que desenvolvem ações de combate à violência sexual infanto-juvenil querem fazer valer os direitos de crianças e adolescentes e evitar a prática desse crime em Salvador durante o maior evento futebolístico do mundo, quando a cidade deve receber milhares de turistas. 

A idéia é discutir de forma ampla e montar ações preventivas, fechar o cerco aos criminosos e intensificar parcerias de combate. Em dezembro do ano passado foram iniciadas as discussões com a realização do seminário "Pró-Copa: Um Gol pelos Direitos de Crianças e Adolescentes", oportunidade em que foi firmado o 'Acordo de Cooperação Pró-Copa' entre 22 instituições públicas e privadas.

Prioridades entre as principais atribuições do Ministério Público e sustentada pelo presidente da Frente Parlamentar de Prevenção e Combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes da Câmara Municipal de Salvador, vereador Paulo Câmara (PSDB), a pauta  de combate também foi abraçada pelas polícias Federal, Rodoviária Federal, PM, Saltur, Cedeca, Derca, entre outras instituições públicas e privadas.

Lançado pelo Ministério do Turismo para registrar denúncias de abusos em todo o país, o serviço Disque 100 revelou que a Bahia é recordistas no número de denúncias, tendo Salvador como a capital com maior número de ocorrências entre as cidades-sede da Copa. A informação, confirmada pelo Projeto Viver da Secretaria de Segurança Pública (SSP) surpreende.

Das denúncias de violência sexual registradas em 2010, 66% são de abuso e 33% de exploração sexual. Em 2009, o abuso  representou 64% dos registros. As principais vítimas são as meninas. A maior parte das denúncias tem elas como foco: 62%. Esse número sobe para 82% quando as denúncias são de violência sexual.

Traçar os caminhos do crime e identificar seus autores é o principal objetivo da discussão de combate à prática. "A luta é em defesa dos direitos desses menores e adolescentes”, diz Paulo Câmara.

A linha de raciocínio do vereador é seguida pelo secretário extraordinário para Assuntos da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014 (Secopa), Ney Campello, para quem a Copa é uma oportunidade excelente para o país, mas é também um perigo, devido à visibilidade que o país ganhará na midia mundial.

Foto: Edson Ruiz // Bocão News 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar