Geral

Assunto encerrado. Jegues não vão participar da Lavagem do Bonfim

[Assunto encerrado. Jegues não vão participar da Lavagem do Bonfim]
16 de Janeiro de 2013 às 10:21 Por: Terena Cardoso (Twitter: @terena_cardoso)

Quem ainda insiste na presença dos jegues na Lavagem do Bonfim está perdendo tempo. Segundo a vereadora Ana Rita Tavares, advogada à frente das Ongs Terra Verde Viva e Célula Mãe, que ajuizou uma ação contra a presença dos animais na festa, não existe lei alguma que libere a presença dos bichos. “Ano passado teve uma decisão provisória que foi dada pelo Tribunal de Justiça, mas ainda há dois recursos pendentes e o processo principal não foi julgado. Então, a decisão final ainda será dada pelo juiz da 6ª vara de Fazenda Pública”, explica a vereadora do PV.

Ainda sobre o processo, Ana Rita explica que nessa situação a prefeitura é ré. “O prefeito ACM Neto já reconheceu o erro que é a presença desses animais na festa. A partir do momento que a ré reconhece a procedência do pedido dos autores, que é a retirada dos animais, a ação vai acabar”, avisa a vereadora, que faz questão de expor sua opinião sobre a polêmica. ”No ano anterior não teve a presença dos animais e as pessoas sentiram que é muito melhor sem os jegues. Quem aproveita a festa com esses animais é quem utiliza a condição de ridículo do animal para se satisfazer.  É uma cultura e tradição que desmerece e provoca mal a um ser vivo e isso não tem que existir. Ao invés de elas exigirem a presença dos animais na lavagem, deveriam pedir bandas, grupos de artes, fanfarras e dar espaço ao ser humano que precisa de emprego”, desabafa.

O secretário de Desenvolvimento, Turismo e Cultura de Salvador, Guilherme Cortizo, ratifica as informações dadas pela vereadora e informa que não houve solicitações de entidades com animais. “Não negamos os jegues na lavagem, porque não houve solicitação. Mas, se houvesse, seria negado, porque há uma discussão judicial e porque o prefeito solicitou que não autorizasse enquanto não fizéssemos uma avaliação ampla do caso”, diz Cortizo, que preferiu não mais tocar no assunto. “Eu acho, sinceramente, que este é um problema superado”, finaliza.

Para aqueles que ainda insistem na presença dos jegues na Lavagem do Bonfim, Ana Rita Tavares (PV) recomenda um vídeo. “Não faz sentido esses animais sofrerem e quem insiste nisso são pessoas retrógradas. Os jegues só eram utilizados antigamente porque não havia veículo motorizado. Em 1988 a constituição federal reconheceu os maus tratos aos animais como crime e é isso que acontece na lavagem. Apesar de o vídeo falar sobre o 2 de Julho, dedicamos boa parte das filmagens à Lavagem do Bonfim”, diz.

Confira o vídeo:


 




Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar