Justiça

Procuradora do MPT diz que não houve negociação coletiva nas demissões da EBDA

[Procuradora do MPT diz que não houve negociação coletiva nas demissões da EBDA]
07 de Maio de 2015 às 10:19 Por: Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)
A procuradora do Ministério Público do Trabalho, Andrea Freitas, autora da petição que culminou na decisão da Justiça obrigando o Estado a reintegrar os trabalhadores da extinta Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), afirma que deveria haver uma prévia negociação coletiva, mas não houve. 
 
Em entrevista à rádio Metrópole FM, Andrea explicou que foi surpreendida com a decisão do governo estadual que demitiu os empregados. "O argumento [utilizado para que a Justiça determinasse a reintegração] é que precisa haver uma prévia negociação coletiva. No caso da EBDA, além de não haver negociação coletiva, eles já tinham dispensado praticamente quase todos os empregados e na penúltima audiência havia um acordo de não ter as dispensas. Só que nós fomos surpreendidos no dia 30 de abril, véspera do Dia do Trabalho, com dispensa de 300 empregados da EBDA", relatou a procuradora.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar