Mundo

Barack Obama anuncia a morte de Osama Bin Laden

[Barack Obama anuncia a morte de Osama Bin Laden]
02 de Maio de 2011 às 05:48 Por: Redação Bocão News e Agências
Em pronunciamento feito na TV na noite deste domingo (1º), o presidente norte-americano, Barack Obama, confirmou a morte do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, e disse que o corpo dele está com os Estados Unidos. "A justiça foi feita", afirmou.
 
"Nesta noite tenho condições de dizer aos americanos e ao mundo que os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama bin Laden, o líder da Al Qaeda e terrorista responsável pelo assassinato de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes."
 
Obama disse que a operação só foi bem sucedida devido a ajuda do governo do Paquistão, que facilitou que as equipes encontrassem o esconderijo do terrorista. "Esse é um dia histórico para as duas nações", disse Obama.
 
Enquanto ele falava, centenas de pessoas estavam concentradas em frente à Casa Branca, em Washington, para comemorar com gritos de alegria e mensagens patrióticas a morte. Seguravam bandeiras, cantavam o hino nacional e bradavam "USA".
 
Neste domingo, segundo o presidente, foi dada a ordem para que uma equipe de soldados dos EUA capturasse o líder terrorista. Obama afirmou que nenhum americano foi ferido na operação, ocorrida na cidade de Abbottabad, no Paquistão.

Funcionários do governo americano detalharam que outros três homens e uma mulher teriam morrido no ataque. "Finalmente, na última semana, eu determinei que nós tínhamos informações suficientes para agir (...) Depois de troca de tiros, eles mataram Osama bin Laden e tomaram seu corpo sob custódia", afirmou Obama.
 
Segundo o presidente americano, a captura foi um dos maiores trunfos de seu governo. Ele revelou ter determinado ao diretor da CIA (agência de inteligência americana) que tornasse a captura de Bin Laden uma prioridade.
 
Após relembrar a dor dos ataques de 11 de Setembro de 2001, Obama continuou: "Nós podemos dizer para todas as famílias que perderam entes queridos que a justiça foi feita". "Nós não vamos tolerar ameaças a nossa segurança nacional ou aos nossos aliados. Não há dúvidas que a Al Qaeda continuará a atacar", disse Obama, ressaltando, como o fez George W. Bush, que a "Guerra ao Terror não é contra o Islã". "A Al Qaeda é um destruidor em massa de muçulmanos", afirmou.
 
Perfil - O obscuro ex-colaborador da CIA tornou-se sinônimo de terrorismo na década. Engenheiro civil, é um dos cerca de 50 filhos do construtor saudita Mohammed bin Laden.
 
Osama bin Laden iniciou sua carreira no Afeganistão nos anos 70, ajudando os EUA a expulsar tropas soviéticas. Criou a Al Qaeda (a base, em árabe) em 1998 e no mesmo ano mostrou seu cartão de visitas explodindo embaixadas americanas no Quênia e Tanzânia.
 
Em 2001 veio sua ação mais espetacular, contra as Torres Gêmeas e o Pentágono. Virou alvo número um dos Estados Unidos, procurado vivo ou morto. Esteve por trás, ou serviu de inspiração, para ataques em países tão diversos como Espanha, Indonésia, Marrocos e Turquia.
 
Suas mensagens mobilizam radicais pelo mundo todo. Sua ação mudou a forma como se faz guerra, como se protegem liberdades e como se inspecionam bagagens.
 
Além do 11 de Setembro, Washington também relacionou Bin Laden a uma série de ataques, incluindo os atentados às embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia, em 1998, e o ataque ao navio de guerra USS Cole no Iêmen, em 2000.



Americanos comemoram morte de Bin Laden em Washington

Centenas de pessoas estão concentradas na frente da Casa Branca, em Washington, para comemorar com gritos de alegria e mensagens patrióticas a morte do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden.
 
O presidente americano, Barack Obama, realizou há pouco um discurso na televisão no qual confirmou a morte do terrorista mais procurado do planeta.
 
De acordo com ele, a morte decorreu de uma ação de inteligência do Exército dos EUA em parceria com o Paquistão, que localizou o terrorista na última semana. O líder terrorista foi morto neste domingo em uma mansão nos arredores de Islamabad, após ação de um pequeno grupo de soldados americanos.
 
Obama, após relembrar a dor dos ataques de 11 de Setembro de 2001, disse que "a justiça foi feita" e que capturar o terrorista era uma das prioridades de seu governo.

Seqüência de atentados em 11/9 de 2001 mudou a história mundial

Osama bin Laden, morto neste domingo pelas forças americanas no Paquistão, comandou os atentados de 11 de Setembro de 2001, que mudaram não apenas a história dos Estados Unidos, como de todo o mundo.
 
Naquele fatídico dia, 19 terroristas da Al Qaeda seqüestraram quatro aviões comerciais, com os quais atacaram Nova York e Washington, locais emblemáticos para o povo americano.
 
Duas aeronaves foram lançadas contra as Torres Gêmeas do World Trade Center de Nova York e uma terceira contra o Pentágono, sede do Departamento da Defesa dos Estados Unidos, em Washington. Um quarto avião caiu em um campo na Pensilvânia, aparentemente depois que os passageiros lutaram com os seqüestradores.
 
Os ataques deixaram quase 3.000 mortos, incluindo todos os seqüestradores.
As torres do WTC, os maiores arranha-céus da Big Apple, foram atingidos por dois aviões com uma diferença de 17 minutos.

// com informações das agências de notícias internacionais

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar