Polícia

Tráfico de Pessoas: Operação Planeta prende casal em Salvador

[Tráfico de Pessoas: Operação Planeta prende casal em Salvador]
31 de Janeiro de 2013 às 10:21 Por: Tony Silva (Twitter: @bocaonews)
O casal identificado apenas pelos vulgos de “China” e “Neguinha” foi preso na manhã desta quarta-feira (30), no bairro de Cajazeiras, acusado de participar do tráfico internacional de pessoas entre Salvador e Espanha. A prisão é resultado da “Operação Planeta”, deflagrada hoje, pela Polícia Federal em cooperação entre as Polícias do Brasil e Espanha. A Operação Planeta tem o objetivo de desbaratar uma organização internacional, com atuação em ambos os países, dedicada à prática de tráfico de pessoas para fins de prostituição.

Curiosamente o nome da operação foi dado por conta das boates onde as meninas trabalhavam: Júpiter, Vênus, entre outras. Todas com nomes de planeta. Assim como os nomes dos estabelecimentos faziam tal alusão à fantasia com o mundo interplanetário, as promessas feitas às jovens eram verdadeiros contos de fadas.


Durante entrevista coletiva concedida no auditório do Polícia Federal no Comércio, em Salvador, os responsáveis pela operação deram detalhes da situação.

O superintendente da Polícia Federal na Bahia, César Augusto Toselli, Vladimir Aras, procurador da república e Ministério Público Federal, Marcelo Werner, titular Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado (DRCOR) e o delegado da Polícia Federal soteropolitana, Fernando Berbert, que coordena a operação, informaram que chegaram ao casal, inicialmente, através de uma denúncia anônima no disque denúncia da delegacia das mulheres e logo foi encaminhada a Polícia Federal. “A mãe denunciou que a filha havia sido aliciada e estava sendo vítima de exploração sexual na Espanha. A partir daí, o caso veio para a Polícia Federal e também para polícia espanhola. Foram feitas diligências na Espanha e lá foi feito contato com a menina que estava sendo explorada, apontada pela mãe na denúncia e levantamos os nomes do casal, Neguinha e China. Em seguida fizemos diligências em campo e pesquisas na internet e chegamos ao casal”, explica o delegado Fernando Berbert.

O Aliciamento

Meninas do bairro de Paripe eram aliciadas com “verdadeiros contos de fadas”, afirma o delegado. “Eles vendiam uma história para as meninas do bairro de Paripe, de que a prima de ‘China’ havia se casado com um espanhol que era proprietário de uma casa de shows na cidade de Salamanca na Espanha e o estabelecimento estava precisando de dançarinas brasileiras para se apresentar com danças típicas do Brasil e a remuneração seria de €100 Euros por noite. Tal informação difundida para jovens de baixa renda e com poucas oportunidades é um verdadeiro conto de fadas”, afirma Berbert.

O superintendente declarou que nos estabelecimentos fechados pela polícia espanhola foram encontradas, além das meninas de Salvador, outras meninas de outros países e estados brasileiros na mesma situação. Algumas meninas já sabiam de que iriam se prostituir, mas muitas estavam iludidas. Um dos principais locais escolhidos pelos aliciadores eram as academias de ginástica do bairro. Elas recebiam uma proposta de trabalho onde passariam apenas três meses e voltariam em condições de montar um negócio próprio. Mas, a grande armadilha era que, além do valor da dívida estar quadriplicado, elas eram tratadas como objeto. "A dívida se transformava em €4 mil euros - dos €100 euros recebidos por noite elas ficavam apenas com €40, o restante era apreendido pelo grupo para pagar alguns custos alegados por eles, como: hospedagem, alimentação e outras despesas. Havia um rodízio entre as casas de prostituição na Espanha, exatamente para não criarem vínculo entre os clientes ou qualquer tipo de pessoa da localidade. Elas eram vigiadas e as ligações para família eram limitadas e sempre com alguém por perto". explicou.

Nas boates fechadas na Espanha foram encontradas também drogas, documentos e dinheiro. Foram identificadas cinco mulheres de Salvador , mas o grupo é bem maior, segundo o superintendente Polícia Federal na Bahia, César Augusto Toselli. “O retorno das mulheres está sendo acertado com ministério das Relações Exteriores. Algumas já podem voltar espontaneamente e já foram contatadas”, afirma.


A Operação

O resultado desse trabalho demonstra a importância da inserção internacional da Polícia Federal no exterior, o que permitiu uma rápida e eficiente troca de informações, por intermédio de sua Representação na Embaixada do Brasil em Madri, com as autoridades espanholas, para a execução da operação.

As ações ocorrem simultaneamente no Brasil e na Espanha, para cumprir, em território brasileiro, dois mandados de prisão preventiva, um mandado de condução coercitiva e três mandados de busca e apreensão. Em território espanhol serão cumpridas prisões,   o fechamento de duas casas de prostituição, além da busca e apreensão na casa dos presos e em estabelecimentos.

Os envolvidos serão indiciados pela prática dos delitos de tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual e formação de quadrilha, sem prejuízo dos demais delitos constatados ao final da apuração.


Fotos: Roberto Viana // Bocão News
Nota originalmente postada às 15h do dia 30

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar