Polícia

Coronel nega desvio na Câmara e presidente rebate Tadeu: Quero que ele aponte

[Coronel nega desvio na Câmara e presidente rebate Tadeu: Quero que ele aponte]
07 de Novembro de 2013 às 12:36 Por: Caroline Gois (twitter: @goiscarol)
Após o deputado estadual Capitão Tadeu (PSC) resgatar o assundo "desvio de função na Alba" e fazer a denúncia respingar na Câmara municipal de Salvador, o presidente Paulo Câmara (PSDB) respondeu às declarações do parlamentar: "Quero que ele aponte quais são as pessoas que têm desvio de função", rebateu o pesedebista, já informando que a Casa Militar está disponível para apresentar o efetivo do órgão. 
 
A reportagem do Bocão News procurou então o chefe da Assistência Militar da Casa Municipal, Coronel Anildo Rocha, que apresentou ao site a dinâmica dos PMs na Câmara. Segundo o coronel, existe hoje um efetivo de 31 policiais responsáveis pela segurança dos 43 vereadores e mais de 1,2 mil funcionários que trabalham no Legislativo. Destes, 16 policiais atuam no serviço de guarda, reversando 24h por 72h. Cinco policiais femininas atuam na recepção das principais unidades da Câmara. "Uma PM atua na parte administrativa da Assistência Militar. Três trabalham de segunda a sexta, no reforço à guarda, através de ronda e suporte no plenário. Além disso, dois PMs atuam diretamente na segurança do presidente. Um trabalha exclusivamente no plenário. Além disso, dois hoje estão de férias", detalhou.
 
Ainda conforme Rocha, "não procede a informação passada pelo deputado estadual Capitão Tadeu, de que exista desvio de função na Câmara. Temos sim, acumulo de função, devido à demanda elevada de atividades que temos na Casa, dando segurança ao patrimônio, aos vereadores e aos servidores que atuam no Legislativo", afirmou.




Na manhã desta quinta-feira (7), em entrevista concedia à Rádio Sociedade, no Programa Balanço Geral com Armando Mariani, o deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) afirmou que "tem desvio na secretaria da Fazenda e na Câmara".
 
Ainda que sem apresentar documentos que atestem a denúncia, o parlamentar ressaltou que esta prática é comum em órgãos públicos. "É uma imoralidade. Quando eu brigo, alguns acham ruim. Marcelo Nilo acha ruim. Ele é meu amigo. Votei nele, mas ele está errado. Isso (referindo-se aos desvios) é um mal exemplo", constatou, aproveitando para rebater mais uma vez o novo 'inimigo'.
 
 
No dia 26 de setembro, o sub-tenente Evaldo Silva, munido de documentos - dos quais considera serem as provas que põe em xeque as atividades dos policiais na Casa Legislativa -  balançou as estruturas da política baiana. De acordo com Silva, há 63 policiais que constam na lista dos que trabalham na Alba. 

Relembre a denúncia
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar