Política

Popularidade sobe e quatro em cada dez aprovam governo Dilma, diz Ibope

[Popularidade sobe e quatro em cada dez aprovam governo Dilma, diz Ibope]
18 de Dezembro de 2014 às 06:28 Por: Ricardo Stuckert Filho Por: Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

 

Quatro em cada dez brasileiros consideram o governo Dilma ótimo ou bom, indica pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), feita pelo Ibope, divulgada nesta quarta-feira (17). O percentual de aprovação de Dilma em dezembro é dois pontos percentuais maior que o registrado em setembro, quando 38% aprovavam a gestão Dilma.

Em setembro, 28% julgavam o governo Dilma “regular” e, em dezembro, esse percentual recuou para 27%. Por fim, diminuiu o percentual de brasileiros que consideram o governo ruim ou péssimo. Agora, são 32% contra 33% de setembro.

A pesquisa foi realizada com 2.002 pessoas em 142 cidades do País.

Maneira de governar

Aumentou também o percentual de brasileiros que aprova a maneira da presidente Dilma Rousseff governar — a alta foi de quatro pontos percentuais entre setembro e dezembro de 2014.

Em setembro, 48% disseram aprovar o governo de Dilma. Em dezembro, a porcentagem subiu para 52%. No entanto, o crescimento não alcançou o percentual dos dois primeiros anos de governo da petista, superiores a 70%.

Confiança em Dilma

O percentual da população que afirmou confiar na presidente subiu seis pontos percentuais. Agora, 51% disseram confiar em Dilma, 44% não confiam e 5% não souberam responderam ou não quiseram opinar.

A pesquisa apontou que os pontos positivos do governo foram o combate à fome e à pobreza e os investimentos em programas sociais. Os pontos negativos foram os poucos investimentos na saúde e o não combate à corrupção.

Operação Lava Jato

As notícias sobre corrupção na Petrobras foram lembradas pela população. Esse tema foi citado espontaneamente por 45% dos entrevistados, sendo que 31% destacaram notícias referentes à Operação Lava Jato, 19% das manchetes relativas às prisões dos diretores da estatal e 6% das prisões dos diretores de empreiteiras envolvidas no escândalo.  

Nota originalmente postada dia 17

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar