Política

Para ACM Neto, Luiz Caetano e Luiza Maia são dissimulados

[Para ACM Neto, Luiz Caetano e Luiza Maia são dissimulados]
11 de Abril de 2011 às 08:47 Por: Maiana Brito

ACM Neto admite conversar com partidos de oposição para criar uma aliança em torno de uma candidatura única para enfrentar o candidato do governador Jaques Wagner à prefeitura de Salvador.

Sobre a falta de oposição na Bahia, o líder do DEM na Câmara Federal, afirmou ter certeza que a oposição vai mostrar capacidade de cunho político no estado. “Estamos passando por uma renovação política. Os novos parlamentares precisam se inteirar primeiro com o ambiente para se organizar e atuar como deve ser”.

Apesar de afirmar não estar "colado" ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, Neto não adianta que uma aproximação não deve ser vista com estranheza. “Estamos tentando uma conversa. Na época em que João Henrique foi para o segundo turno, eu apoiei. A articulação não foi com o Geddel, mas com o ministro da Integração Nacional. Essa afinidade tem que ocorrer com toda a oposição na Bahia, pois Jaques Wagner consegue reunir um grupo forte ao seu redor. Para virar o jogo, sou a favor desta união”.
 
Questionado sobre o massacre no Rio de Janeiro, ocorrido na última quinta-feira (7), como todos os cidadãos brasileiros, julgou ser uma barbaridade e disse que é reflexo da realidade do país, de acordo com a condições oferecidas. “A educação não está entre as prioridades do Brasil. Mas, deveria. Ela garante que o jovem não vá para o mau caminho. O problema é que o governador, por comodidade ou sei lá o que, deixa tudo solto. Se o governo não desenvolve bem a tarefa de oferecer segurança pública à população, a prefeitura tem que ajudar nesta tarefa”.

Concluiu o assunto dizendo que esta, como da outra vez, seria uma das prioridades em uma gestão caso venha assumir o posto de JH. Segundo Neto, no primeiro turno da última eleição João teve pouco mais de 28% dos votos, Pinheiro 27% e ele 26%, o que o deixa confiante em disputar a eleição.

Outro assunto polêmico abordado pelo apresentador Zé Eduardo durante a participação do deputado federal no programa do Bocão, na rádio Sociedade, na manhã desta segunda-feira (11) foi o pedágio. Para ACM Neto é um abuso. “Atualmente, são 13. Não dá para esquecer, por que é o numero do PT. Quando a gente ouve falar dos pedágios, imagina que a concessionária responsável pela administração fez uma grande obra. Mas, o da BR-324 mesmo é absurdo. Eles só fizeram recapear o asfalto, obrigação do Estado, que já cobra imposto, e construir a praça de cobrança”.

Indignado com a postura de alguns políticos em relação ao tema, chamou o prefeito de Camaçari, Luiz Carlos Caetano, e sua mulher, a deputada estadual Luiza Maia, de dissimulados. “Eles fazem oposição e o jogo do governador ao mesmo tempo. Vou logo dizendo. Ele enche a boca para dizer que tem uma boa relação com o governador, que foi coordenador de campanha, depois diz que é contra a alteração do local da praça do pedágio na Estrada do Coco. Não venha pra cá querer enrolar o povo, não. O PT hoje é responsável pelos inúmeros pedágios”. Neto afirmou ainda que, se a situação não mudar, a oposição vai denunciar ao Ministério Público e vai para a rua fazer manifestação.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar