Política

Novos secretários para inchar a estrutura do Estado

[Novos secretários para inchar a estrutura do Estado]
06 de Maio de 2011 às 18:29 Por: Tanara Régis

Afinal, o que trás de políticas sociais as quatro novas secretarias do Governo da Bahia? As respostas foram apresentadas durante coletiva realizada com os seus titulares que já assinaram o termo de posse, durante a tarde desta sexta-feira (6), no prédio da Governadoria (Centro Administrativo – CAB).

A questão é qual a dimensão da necessidade de transformar antes superintendências em novas Secretariais. Sobre isso, se destaca a criação da Secretaria de Políticas para Mulheres anteriormente uma coordenação vinculada a Secretaria de Promoção da Igualdade – SEPROM.

A nova secretária tenta explicar o porquê : “As políticas para as mulheres precisavam de maior visibilidade e mobilização dentro do próprio âmbito governamental, de seus cargos e secretarias”, fala Vera Lúcia Barbosa, conhecida militante do Movimento dos Sem Terra (MST) e da luta das mulheres camponesas.

Segundo Vera, embora as mulheres sejam  maioria da população brasileira, ainda são minoria no que se refere às políticas de inserção em cargos decisórios no mercado de trabalho. Sem contar o fato de serem alvos da violência cujas ações de combate na Bahia são tímidas.

Já no âmbito da Promoção da Igualdade Racial, o novo secretário, Elias Sampaio, ressalta que preconceito racial é realidade na Bahia."Procuramos atender ainda ações menos universalistas e mais voltadas para a luta contra o preconceito racial que exclui povos tradicionais, como os quilombolas", conclui.

Fernando Schimidt, antes chefe de gabinete do Governo,  também busca justificar para que veio a criação de uma Secretaria voltada tão somente para as Relações Internacionais. "Iremos trabalhar em articulação com o Itamaraty para capitar novos investimentos no exterior que possam ajudar no crescimento do Estado", fala o Secretário, expondo, no entanto, um trabalho que já era feito a contento quando era chefe de gabinete.

Nestor Duarte apresentou que Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização surge para resolver o problema dos 6 mil presos em carceragem na Bahia porque não há vagas em penitenciárias. Segundo Duarte, a criação de mais vagas será realizada em penitenciárias de Vitória da Conquista, Barreiras, Eunapólis - as duas últimas com problemas recissão de contratos e em processo de novas licitações.

Quanto a Secretaria da Comunicação, sob o comando de Robinson Almeida promete investimento na comunicação para além do seu papel noticioso. "Queremos fortalecer o Conselho de Comunicação da Bahia e criar políticas públicas para área que beneficiem os profissionais e a sociedade em geral", afirma.

Foto: Roberto Viana // Bocão News
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar