Política

Saída de Serraglio foi sugestão de Serra para barrar Lava Jato

[ Saída de Serraglio foi sugestão de Serra para barrar Lava Jato]
28 de Maio de 2017 às 18:35 Por: Chayenne Guerreiro
 
 
No inicio do mês a Policia Federal divulgou um áudio de uma ligação entre os senadores José Serra (PSDB-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG). No diálogo, Serra demonstrava a vontade de derrubar o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, para colocar outro, mais "forte", em seu lugar.
O senador insistia com Aécio que o presidente Michel Temer (PMDB) deveria ser convencido a fazer a mudança. O objetivo era frear o avanço da Lava Jato. A conversa aconteceu no início de abril.
 
Nesse domingo (28), Temer anunciou a mudança de Serraglio para o ministério da Transparência.
 
Em seu lugar entra Torquato Jardim, ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  A troca ocorre a menos de dez dias do julgamento da Justiça Eleitoral que poderá cassar o mandato do presidente, marcado para o dia 6 de junho. Com o cargo, Torquato ganha ascendência sobre a Polícia Federal.
 
Relembre o diálogo:
 
José Serra - Deixa eu te falar uma coisa, cara. Eu tô preocupado... olhando do ponto de vista macro, né... da política, eu acho que precisa ter um ministro da Justiça forte, viu Aécio.
 
Aécio Neves - Eu também acho, sempre achei.
 
José Serra - E... realmente forte. Não precisa ser da área, porque vai ficar da área... vai ficar aquele problema todo. Alguém como o Jungmann daria, entende? Bem assessorado, tal. O fato é que tem que por alguém com força. Não para fazer nada arbitrário, mas para que as coisas tenham um caminho, né? de desenvolvimento, tudo.
 
Aécio Neves - Vamos falar pessoalmente, tá bom.
 
José Serra - É. Mas se você tiver oportunidade, sem mencionar que eu te falei, porque eu tinha ficado de falar com ele. Podia mencionar isso para o presidente.
 
Aécio Neves- Tudo bem, mas não sei se consigo.
 
José Serra - Inclusive quem etc. Mas o fato é o seguinte, precisa ter ministro forte.
 
Aécio Neves - Concordo com você.
 
José Serra - O rapaz é um... o Osmar Serraglio foi um bom deputado, acho mesmo... pode ir para outro ministério, tal, mas as condições iniciais ele não teve
 
Aécio Neves - Falamos pessoalmente, mas concordo. Falamos pessoalmente, tá bom? Mas tá entendido.
 
José Serra - Você concorda com a ideia, né?
 
Aécio Neves - Concordo há muito tempo já.
 
José Serra - Tá bom.
 
Aécio Neves - Abração.
 
José Serra - Ok.
 
Aécio Neves - Melhoras aí.
 
A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) afirmou por meio de nota, que vê com "preocupação" a troca no comando do Ministério da Justiça.
 
Leia a íntegra da nota da ADPF:
 
Nota à imprensa
 
A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), vem a público demonstrar preocupação com a notícia da substituição, neste domingo, dia 28, do Ministro Osmar Serraglio pelo Ministro Torquato Jardim para ocupar o cargo de ministro da Justiça. 
 
Os Delegados de Policia Federal foram surpreendidos com a notícia da substituição, até mesmo porque desconhecem qualquer proposta de Torquato Jardim para a pasta. É natural que qualquer mudança no comando do Ministério da Justiça gera preocupação e incerteza sobre a possibilidade de interferências no trabalho realizado pela Polícia Federal.
 
Para resolver esta situação e evitar dúvidas, é fundamental que seja logo aprovada, no Congresso Nacional, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, que garante a autonomia funcional, administrativa e orçamentária à Polícia Federal.
 
Além da autonomia, também é essencial que seja instituído o mandato para diretor geral da PF, de modo que mudanças de governo ou de governantes não reflitam em interferências políticas, cortes de recursos e de investimentos que prejudiquem as ações da Polícia Federal.
 
Carlos Eduardo Sobral
Presidente da Associação Nacional dos Delegados de Policia Federal - ADPF
 
 
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar